Artigo

Ideias: Princesa nordestina

00:00 · 17.06.2017

Um livro infantil tem sempre um sopro de ternura. A historinha pega pela singeleza e vem totalmente integrada a agradabilíssimas ilustrações. Há um quê de harmonia entre autores e desenhista. Festa de texto e imagem correndo na estrada aplainada para o trânsito livre das crianças, jovens e até adultos!

Livro infanto-juvenil como ponto de partida capaz de despertar o gosto pela leitura. Léo Rocha e Débora Aldyana firmaram pacto de leveza na produção de "Bel, a Princesa Nordestina". Relatos bem humorados com passagem em belíssima caracterização dos tipos ou personagens desenhados pelo talento de Kayro Rocha.

Perfeita integração de valores num livro-caderno em volteios de fino humor realmente capaz de encantar os leitores. As crianças e os adultos encontraram a "Princesa Nordestina", onde as autoras provaram que a "realeza" também pontifica em nosso meio. Historinha que seduz pela naturalidade e correção dessa produção "para todas as idades". Contar histórias será sempre uma arte, notadamente quando quem as escreve revela bons sentimentos e verdadeiro amor pelas crianças.

Em pleno século XXI, ainda há a meiguice de uma produção ao alcance do público infanto-juvenil, em que ousamos acrescentar nosso interesse de adulto com eterna alma de criança...

Três profissionais definidos em suas profissões tendo tempo suficiente para dedicar espaço nobre à produção do porte de "Bel, a Princesa Nordestina". Belíssima "adaptação" unindo o útil ao agradável, a tocar o coração desse público alvo cuja renovação é uma constante nos observadores dos costumes.

Paulo Eduardo Mendes - Jornalista

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.