artigo

Direito à 3ª idade

00:00 · 15.06.2018

Estamos envelhecendo mas será que sabemos lidar adequadamente com essa condição, enquanto indivíduos e sociedade? Segundo dados do IBGE, em 2017 o Brasil tinha 30 milhões de pessoas com mais de 60 anos. No Ceará, são mais de 1,2 milhão de idosos. As projeções apontam que, em 2030, o número de idosos irá superar o de crianças e adolescentes de zero a 14 anos, no País.

Viver mais deveria ser motivo para celebrar, mas a ausência de uma cultura que valorize o idoso, de políticas públicas voltadas às especificidades dessa faixa etária e o desconhecimento de leis que garantem direitos básicos tornam o envelhecer no Brasil um desafio diário.

Outro problema sério é a violência familiar e/ou institucional cometida contra essa faixa etária, seja por ação direta ou por omissão. Essa violência se manifesta de várias formas: da exploração econômica à violência física ou psicológica; da falta de vagas em Instituições de Longa Permanência e Centro Dia à dificuldade de acesso a políticas de saúde. Para refletir sobre essas questões foi instituído o 15 de Junho, como Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa.

Buscando contribuir para a implementação de ações concretas, que valorizem e garantam direitos à pessoa idosa, a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE) realizou este ano o projeto "O idoso e a construção do envelhecimento ativo e saudável", que capacitou técnicos e gestores de 48 municípios cearenses para a elaboração dos planos municipais dos direitos da pessoa idosa - importante ferramenta de planejamento para as gestões.

Rosmari Almeida
Presidente da APDMCE

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.