Artigo

Democracia

00:00 · 22.06.2018

A democracia baseia-se em um sistema de instituições construídas na expectativa de garantir a representatividade e legalidade das decisões políticas. Infelizmente, constatamos que este equilíbrio institucional tem sido seriamente desvirtuado. Um olhar acurado sobre o relacionamento dos poderes constituídos (Executivo, Judiciário e Legislativo) torna este desequilíbrio de fácil constatação e a confirmação de que as instituições democráticas não estão cumprindo o seu papel de canalizar as demandas da cidadania. Por outro lado, a coerência programática e de ideias, abrangendo indicadores políticos, administrativos, econômicos e sociais, nos leva ao caminho da justiça e da liberdade. A atividade estatal deve buscar o bem comum e não a vantagem de alguns que estão temporariamente no governo.

O objetivo da política é a conquista, a expansão e a preservação dos espaços de poder. O embate e os jogos dos contrários constituem a essência dos sistemas democráticos, respeitando-se os princípios éticos e morais, bem como evitando-se emboscadas e conluios. As situações política e socioeconômica, notadamente nos países emergentes, incluindo-se o Brasil, ainda é muito grave.

Porém, a desejada independência dos poderes constituídos, a liberdade de imprensa, a consciência dos direitos e obrigações das pessoas são pontos básicos à consolidação da democracia e, por consequência, à certeza de uma melhor qualidade de vida. Não podemos olvidar que a mais frágil democracia é preferível a qualquer ditadura dentro da perspectiva de liberdade e justiça, como também de uma visão estratégica.

Gonzaga Mota
Professor aposentado da UFC

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.