Artigo

Definir papeis

00:00 · 02.04.2018 por Cláudio Montenegro - Administrador

Definir critérios que balizam a atuação das organizações, apesar de ser um tema recorrente, nem sempre é colocado com a propriedade que lhe é devida. Essa questão permeia as diversas dimensões das organizações, desde a definição básica dos seus próprios objetivos. Nessa perspectiva nem sempre é tão confortável, como pode parecer, o papel dos administradores das organizações a tarefa de formular com sabedoria essas questões.

A miopia poderá lhe ser atribuída, em caso de insucesso - o julgamento severo sobre a limitação em identificar, desenvolver e explorar as competências que tornam o crescimento possível e sustentável poderá implicar, em repensar o conceito do negócio. O objetivo é o alvo que se pretende alcançar, podendo ser de caráter mais geral ou restrito, ou seja, entendido, respectivamente, enquanto o papel da organização como um todo, que se reflete, sobre as interfaces inerentes ao negócio.

Assim, é necessário ter presente que as organizações devam ser flexíveis, se adaptando as mudanças no ambiente. Ter, igualmente, flexibilidade nas suas relações com o mercado, com sua força de trabalho, fornecedores, concorrentes, tecnologia apropriada, suporte financeiro e, principalmente, sua clientela, razão maior do seu desempenho.

Por fim, é preciso internalizar que a tarefa de definir claramente papéis, será sempre um limitador da sua aplicação, quando a lógica não se sujeita a critérios muito bem definidos. A prática indica o planejamento criterioso, enquanto contraponto desejável a superação de descompassos, que se manifestam no dia a dia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.