Coluna

Leitores e Cartas: Discriminação racial

Leitores e Cartas

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 21.05.2018

O preconceito tenta criar privilégios para um grupo. Negros, homossexuais, adeptos de uma religião e outros grupos discriminados sofrem a acepção e são subtraídos de seus direitos. Nos tempos atuais o direito das minorias ou maiorias discriminados são colocados em evidência. Privilégios não serão aceitos e todos são iguais perante Deus e a lei. A luta é antiga. A Abolição da Escravatura foi uma luta de escravocratas que temiam perder a mão de obra e de liberais que viam no negro irmãos que mereciam a liberdade. Hoje, trabalhadoras domésticas têm seu direito no papel. Mas criam-se mecanismos de perpetuação da escravidão. Diaristas são tratadas como sem direitos!A luta continua pela igualdade e liberdade.

Paulo Roberto Girão
Fortaleza (CE)

Recordações de Mao

Às vezes, me ponho a recordar e vou lá no meu tempo de menino. Relembro-me do meu pai batendo papo com seus amigos, no cair da noite, sentados em cadeiras colocadas sobre a calçada da nossa casa. Naquele tempo, isso era comum. Morria de medo quando eles falavam dos países comunistas. Eu ia para cama pensando como seria a minha noite de sono. Tive incontáveis pesadelos. Eles falavam sobre os líderes da União Soviética, da China e Cuba. Quando falaram que João Goulart foi visitar a China, ainda como vice de Jânio Quadros, eu ficava pensando: será que Mao Tse-tung vai permitir que Jango volte ao Brasil. A minha cabeça ficava a mil. Pensava coisa do arco da velha. Eu tinha muito medo de Mao. Só me tranquilizei quando soube que, lá, Jango se sentiu como se estivesse na casa de velhos amigos. Cabeça de menino amedrontado não sossega. Comecei a pensar: será que Jango, por ter gostado da China, não vai querer implantar no Brasil o regime de Mao. Ainda bem que isso não aconteceu. Zelemos, todos nós, pela democracia.

Jeovah Ferreira
Taquari (DF)

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.