Coluna

Leitores e Cartas: Correios lento

Leitores e Cartas

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 14.04.2018 / atualizado às 00:49

Acentua-se a baixa qualidade dos serviços ora prestados à população brasileira pela Empresa dos Correios e Telégrafos-ECT. Ressalte-se que se os Correios já eram ruins no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, só piorou no governo de Michel Temer. Resido no Crato. No dia 2 de janeiro deste ano, enviei uma carta para um amigo residente em Guaraciaba do Norte, cidade ao Norte do Estado do Ceará. A carta levou 45 dias para ser entregue ao destinatário. Ultimamente, até os "Sedex's" estão sendo entregues com atraso. Eu já fui vítima dessa anomalia. Já as faturas para pagamento dos nossos compromissos

Financeiros estão chegando com mais de uma semana após o vencimento. Às vezes até mais. Chegou a hora de resolvermos esses descalabros. A solução? A privatização da ECT. Na Inglaterra, a abertura de capital do Royal Mail, primeiro serviço de correio do mundo, foi feita em 2013. O governo inglês faturou - com a venda da metade das ações do Correio inglês - 2 bilhões de libras. Ou seja, mais de 9 bilhões de reais. Ressalte-se que o governo do Reino Unido, nesse processo de privatização, deu 10% das ações do Royal Mail aos funcionários da empresa. Imitemos um exemplo que deu certo.

Armando Lopes Rafael
Crato (CE)

PGM

Nosso quadro de procuradores do Município de Fortaleza é muito deficitário e essa deficiência traz graves prejuízos ao Erário Municipal, que deixa de arrecadar vultosas quantias e vê condenações judiciais se avolumarem por total impossibilidade de os procuradores darem vazão à demanda. A Prourma (Procuradoria do Meio Ambiente e Controle Urbano), tem apenas cinco procuradores, para 23 mil processos e a Procuradoria Fiscal apenas nove, para 110 mil processos. Referida escassez se repete nos demais setores da PGM. Atualmente, em efetivo exercício, somos cerca de pouco mais de 50 procuradores. Ao se comparar Fortaleza com Salvador, cidades de porte e capacidade parecidos, a capital da Bahia tem em efetivo exercício 92 procuradores e está realizando concurso com mais 28 vagas abertas para completar seu quadro de 120 procuradores. Hoje temos quase 20 cargos vagos na nossa PGM e a quantidade de procuradores que pedem aposentadoria ou estão próximos de se aposentarem só aumenta. Eles têm que parar seu trabalho para digitar um simples ofício. Mesmo com toda essa precariedade, a Procuradoria Geral do Município arrecadou em 2017, mais de R$ 60 milhões , 100% a mais que todo o ano anterior. Em 2015, o trabalho dos procuradores possibilitou que Fortaleza recebesse cerca de R$ 342 milhões de reais, do Fundeb. Defendamos a PGM para que possamos prestar melhores serviços de assessoria à gestão municipal, da defesa da legalidade, do bom uso do dinheiro público, da arrecadação eficiente e com Justiça Fiscal e a proteção do Erário. A PGM é patrimônio de Fortaleza.

Pedro Quariguasi
Fortaleza (CE)

Janela que preocupa

O que mais preocupa neste pleito de 2018, é que, a renovação no Congresso, principalmente na Câmara, poderá ficar bem abaixo dos históricos 40%! Por quê? Como o STF proibiu a mamata das empresas doarem a candidatos, principalmente como ocorria por fora, ou através de propina, o Congresso aprovou um fundo eleitoral de R$ 1,7 bilhão, além do fundo partidário no valor de R$ 888 milhões! Com esses recursos dos contribuintes, os partidos inovaram e partiram para comprar os passes dos deputados mais bem votados, com a perspectiva de que serão reeleitos. Portanto, devemos ter um número bem menor de candidatos novos disputando cadeiras no Congresso. Isso prejudica a renovação e é ruim para a nossa democracia!

Paulo Panossian
São Paulo (SP)

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.