Coluna

Leitores e Cartas: bondinho emperrou

Leitores e Cartas

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 25.06.2018

É impressionante como as coisas andam neste País paraplégico e manco, no sentido da conclusão de obras públicas, mesmo existindo uma placa indicando, em cada canteiro dessas obras, contendo o início e o término dessas edificações. Mais estranho ainda, ocorre quando nos deparamos com obras públicas nas quais inexistem sequer um prazo pré- determinado para a efetivação do respectivo equipamento, como é o caso do Bondinho que dá acesso à Gruta de Ubajara. A reforma do equipamento vem sendo tocada a passos de tartaruga e no ritmo de uma marcha fúnebre.

Gilson Queiroz

Ubajara (CE)

Academias de rua

Como iniciativa no combate ao sedentarismo, alguns estados do país têm adotado como política pública a instalação de academias de rua, de utilização livre e gratuita, sem profissionais capacitados para orientar seus usuários. A ação, que tem o viés benéfico, vem acompanhada de uma controvérsia: não existe a obrigatoriedade de toda academia contar com profissionais, sob risco de o uso incorreto provocar graves lesões e até a morte de frequentadores? A questão põe em foco a real aplicação dessa obrigação que consta em legislação. E enquanto ela vale para empresas privadas, o Estado dessa forma a descumpre, sem sequer ser advertido, autuado, multado ou interditado. Nessa polêmica, entram também as academias instaladas nos condomínios, outras residências e até mesmo as diversas faixas de ruas das cidades que aos finais de semana são fechadas para a circulação de bicicletas. O que se vê é uma incoerência na aplicação da lei: ou todos são obrigados ou ninguém é. Trata-se de um conceito mínimo de justiça. Se o argumento é a segurança das pessoas, então, deveria valer para todos.

Cristiano Parente

São Paulo (SP)

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.