Coluna

Leitores e Cartas: as férias chegaram!

Leitores e Cartas

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 02.07.2018

As férias chegaram. As crianças estão alegres. As mães já pensam no trabalho extra que terão para dar atenção necessária às crianças que naturalmente têm muita energia a gastar. É época de receber visitas que vêm para passear nas praias do nosso Ceará. Não há como não se envolver com o clima alegre das férias. Quem pode tira férias. Quem não pode, dá um jeito de curtir a estação festiva. As festas juninas se estendem e a saudade do luar do sertão nos puxa a reviver as fogueiras e o clima sertanejo. O cuidado com a proteção solar e em beber muito líquido é importante. Tiramos férias do trabalho e não dos cuidados com a saúde. Beber e dirigir é imprudência. Se for beber, arranje alguém para dirigir o carro. Férias é luz! Crianças brincando dão uma energia alegre em toda rua e em todo lugar. Feliz férias!

Paulo Roberto Girão Lessa
Fortaleza (CE)

Fim do inverno

Para o nordestino, o fim das chuvas significa fim do inverno, no entanto, é considerado a estação de outono os meses de abril a maio. Já os meses de junho a agosto, é o período do inverno, mais no hemisfério Sul do País, onde impera a época de frio, com geadas e neves, principalmente nas serras. Para nós, a época das chuvas pode ocorrer de dezembro a junho, o que é uma raridade, e às vezes, chega até agosto o que chamamos de "chuva do caju". Durante o ano, nossa região transforma o sertão em duas paisagens totalmente diferentes: da mata seca e cinzenta, à mata verde exuberante com a floração, com os animais e aves procriando, as colmeias se enchendo de mel, os riachos e rios correndo, é um milagre de Deus. No entanto, o que tenho observado, está fora da realidade, como sempre acontecia anos atrás: Em maio, pouco choveu e em junho, nem aquela que sempre caia pela madrugada. Que venha a chuva do caju! Rezemos!

Amílcar Paula Pessoa
Fortaleza-CE

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.