Coluna Leitores e Cartas

Leitores e Cartas

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 30.11.2013
Jaguaribe

Parabenizo a editoria desse jornal pela publicação, em duas edições especiais, do caderno Regional, nos dias 20 e 22 últimos, intituladas "Jaguaribe, memória das águas". As matérias publicadas no referido caderno enfocam o Rio Jaguaribe antes e depois do Açude Castanhão. Nas décadas de 50 e 60 havia o temor não só das secas, como das enchentes catastróficas como as de 1985, por exemplo. Depois do Açude Castanhão continuamos vulneráveis às secas periódicas e está provado que o gigantesco Castanhão não tem condições de controlar uma enchente como a de 1985. Ou uma como a de 1924 ou a de 1974. Em hidrologia existe uma máxima que diz: "A maior enchente está por vir". Uma obra de engenharia que prometia reduzir drasticamente os efeitos das secas no Vale do Jaguaribe. De tudo que ocorreu nestes últimos 28 anos, desde quando o Castanhão surgiu no cenário cearense, o que é mais lamentável foi o sacrifício inútil imposto aos 15.000 habitantes do município de Jaguaribara que sofreram e ainda sofrem como mostram estas duas reportagens do Diário do Nordeste. No caderno Regional do dia 20, em sua primeira página, diz que "o Rio Jaguaribe está sendo perenizado pelos açudes Orós e Castanhão". Na realidade, o Castanhão não perenizou um só centímetro daquele rio, muito pelo contrário, inutilizou, por sua imensa bacia hidráulica, 70 quilômetros da perenização do açude Orós e 40 quilômetros da perenização do Riacho do Sangue. Isto foi claramente exposto no parecer do professor Theóphilo Ottoni para a Semace.

Cássio Borges
Fortaleza-CE

Violência

A população cearense aplaude a iniciativa da ordem dos Advogados do Brasil (Seção Ceará) OAB/CE, em promover um seminário para se discutir a violência e a insegurança no Ceará, e que essa iniciativa não fique só na Avenida Beira-Mar, se estique até as comunidades as quais estão mapeadas como violentas e inseguras e ouvir as comunidades, os conselhos e as associações de bairros. Unindo assim todo segmento da sociedade cearense e até de outros estados, e os estudiosos do assunto buscando soluções rápidas e eficazes. A violência e a segurança, ambas dependem exclusivamente de uma reforma abrangente do Código Civil Brasileiro. Sem isso, o País continuará "atolado" em todo tipo de crimes. Não adianta apenas construir mais presídios, mais delegacias e aumentar do contingente de policiais militares, se não mudarem as leis e exigir da Justiça mais compromisso e atuação.

Luiz Gonzaga Miranda
Fortaleza-CE

Drogas

Como é que um piloto tem autonomia de usar um helicóptero na hora que quiser? Se um empresário ou um político não entrega sequer um carro na mão a um motorista, imagine um helicóptero. Isso é conversa pra boi dormir.

Robervan Oliveira
Fortaleza-CE

Corruptos

Esse pessoal do PT pensa que todo brasileiro é alienado. Se são todos honestos que vivem dos seus salários, de onde estão tirando tanto dinheiro para pagar advogados que cobram milhões por trabalho? Que conversa é essa que não houve ampla defesa, se esses fatos já perduram pelo menos uns 10 anos e que só para julgamento decorreu quase um ano em seções que já irritava milhões de brasileiros conscientes? Basta de enganação e cadeia para toda essa quadrilha e aos seus defensores, pois quem defende corrupto, corrupto é.

José Martiniano Xavier de Queiroz
Fortaleza-CE

Armas químicas

Brilhante solução que o chamado mundo desenvolvido encontrou para se livrar das armas químicas confiscadas na Síria: jogar no mar. Estão tentando transformar essa imensa biodiversidade num tremendo esgoto. Quanta estupidez!

Roberto Miranda
Fortaleza-CE

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.