artigo

Ideias: Fertilização in vitro

Debates e Ideias

opiniao@diariodonordeste.com.br

00:00 · 03.12.2015

A medicina reprodutiva tem avançado a passos largos, desde o advento da fertilização in-vitro (FIV), em 1978. Atualmente, mais de 5 milhões de crianças em todo o planeta já nasceram como resultado da FIV. O Brasil é um dos principais centros mundiais da especialidade e a Medicina Reprodutiva no Nordeste se destaca por incorporar todas as modernas técnicas de tratamento. A FIV evolui na direção de avanços fundamentais, como a vitrificação (congelamento) de embriões e óvulos; a análise genética dos embriões (PGD), que permite evitar transferência de embriões com doenças cromossômicas e genéticas; e a seleção mais rigorosa dos embriões transferidos através da técnica de time-lapse, que analisa a evolução das divisões celulares em tempo real. Procedimentos que aumentaram a segurança e eficácia da FIV. O acompanhamento personalizado de cada caso, com definição de protocolos de estimulação ovariana específicos, aliado à melhora na eficiência e conforto de aplicação das medicações, também contribui para que os tratamentos sejam mais amigáveis para o casal, permitindo manter a rotina de vida normal durante o processo. Hoje o casal pode ter a certeza de que, a maioria dos casos de subfertilidade pode ser resolvida através das modernas técnicas da medicina reprodutiva, já que as taxas de gravidez nos tratamentos de FIV têm melhorado muito ao longo dos anos. Após períodos de 6 meses a um ano de tentativas naturais de gravidez, o casal já deve procurar o especialista, pois o retardo no diagnóstico e tratamento, e fundamentalmente a idade da mulher, são fatores determinantes na chance de sucesso.

FÁBIO EUGÊNIO RODRIGUES

Médico esp. Em reprodução humana.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.