Artigo

Além do currículo

00:00 · 03.09.2018
 

Segundo dados recentes do IBGE, o desemprego no Brasil caiu para 12,4%, mas ainda atinge 13 milhões de pessoas. Para não fazer parte desta estatística, os profissionais precisam estar cada vez mais alinhados com a demanda de mercado. Índice de empregabilidade é o indicador que faz uma relação entre as habilidades do profissional, seus concorrentes e as demandas de mercado através de algoritmos capazes de fazer comparações e mostrar se suas características estão compatíveis com o mercado.

Empregabilidade não é o mesmo que qualificação ou experiência. Alto nível de graduação ou cursos extracurriculares podem não ser suficientes para garantir uma posição caso o empregador busque um profissional que também tenha uma ampla rede de relacionamento.Por ser uma equação que envolve informações dinâmicas de mercado, as ferramentas - que em muitos casos são gratuitas para os candidatos - são mais indicadas para apontar uma informação assertiva. No entanto, alguns passos podem ajudar quem deseja iniciar essa análise sozinho, como colocar-se no lugar do empregador e perguntar a si mesmo "eu poderia me empregar?". Procure oportunidades de desenvolvimento fora do trabalho e sempre analise seus aspectos comportamentais, tanto pelas impressões das empresas que o avaliaram pessoalmente, quanto por inventários que tenha realizado. Conhecer o próprio índice dá posicionamento positivo com relação ao concorrente, uma vez que aumentam as chances de promover mudanças necessárias em seu currículo, e isso vale, inclusive, para profissionais que consideram boas as próprias qualificações.

Marcelo Braga - Pós-graduado Adm. de Empresas

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.