artigo

Ainda é Natal

00:00 · 03.01.2018

O mundo inteiro, sobretudo, o cristão, ainda vive, intensamente, este magno evento, o nascimento de Jesus, numa manjedoura, na cidade de Belém. O verdadeiro espírito do Natal parece não mais existir, quando habitamos, numa sociedade globalizada, que vive momentos, dias perturbados e a preocupação pelos mais humildes parece ser coisa ultrapassada. Perdemos o real sentido do Natal, embora a simbologia natalina ocupe grande espaço da nossa mídia, numa ampla divulgação comercial. O real cerne do Natal reside numa proposta de vida e construção de um novo mundo. O ano de 2017 já se despediu. Esqueçamos o passado, nossos equívocos, desencontros pessoais, familiares e com a sociedade e priorizemos novos objetivos de vida focados para tornar-nos mais solidários e fraternos, enfim, vivermos o espírito do Natal, em todo o ano de 2018. Assumamos este compromisso desta real mudança e compartilhemos na construção de melhores dias para a sociedade brasileira e despertar os nossos governantes para encontrar ações, programas sociais, em favor dos mais humildes, enfim, fazermos um Natal para o ano inteiro. Para o Papa Francisco, "só pode celebrar, verdadeiramente, esta festa quem põe, em seu centro, a grandeza da vida humana e se engaja em eliminar as diferenças sociais do mundo hodierno".

Unamo-nos, todos, indistintamente, neste objetivo de vida, dias melhores para o nosso Brasil. Aí está o real sentido da felicidade. É tempo de se acreditar, na fraternidade, na sociedade humana e na paz cristã. Sejamos gratos a Deus por mais um ano de vida. Feliz Ano-Novo para todos.

Bosco Gonçalves. Escritor

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.