Operação da azul

Voos regulares entre BH e Jeri começam em agosto

01:00 · 17.05.2018

Após testes com voos extras ao longo da última temporada de alta estação, a Azul decidiu tornar regulares os voos entre a capital mineira Belo Horizonte e Jericoacoara. A empresa começa a operar as frequências regulares a partir de sete de agosto, em aeronaves Embraer 195, com capacidade para até 118 clientes.

Os voos do novo mercado já estão à venda em todos os canais oficiais da Azul. Com a novidade, a companhia aérea passa a voar para Jeri a partir de seus três hubs: Campinas, belo Horizonte e Recife. Ao todo, serão cinco operações semanais para o destino do litoral cearense.

De acordo com o site da Azul, os bilhetes de ida para Jericoacoara saindo de Belo Horizonte em sete de agosto são vendidos a R$ 440. Em simulação feita com ida na terça, 7 de agosto, e retorno na terça seguinte, 14 de agosto, o valor do bilhete podia ser adquirido por R$ 880.

Os voos serão realizados todas as terças e quintas, saindo às 13h05 de Confins (BH) e chegando a Jericoacoara às 15h50. O movimento inverso ocorre com operação saindo do Aeroporto de Jericoacoara às 16h25, com chegada a Confins prevista para as 19h20.

Para o diretor de planejamento de malha da Azul, Daniel Tkacz, o voo fortalece o centro de conexões em Minas Gerais e traz uma importante opção de lazer para Clientes que partem da região Sudeste. " Isso vai fortalecer o nosso hub mineiro e proporcionar a nossos clientes uma opção de lazer mais viável para quem mora em Minas e em outras cidades do Sudeste e do Sul do País", ressalta Tkacz.

Sala VIP

Em mais um passo rumo à internacionalização do Aeroporto de Jericoacoara, foi inaugurada ontem (16) a primeira sala VIP do terminal cearense. Administrada pela empresa WG Aviation, o equipamento agora disponibiliza o espaço para passageiros.

"Essa empresa ganhou essa licitação e montou a sala VIP para atender aos turistas que nós recebemos", diz o gerente de Obras e Instalações Aeroportuárias do Departamento Estadual de Rodovias (DER), coronel Paulo Edson Ferreira, que esteve em Brasília nessa terça-feira para tratar junto aos órgãos responsáveis, como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), sobre a internacionalização do terminal aeroportuário.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.