Desafio

Voo para Paris testa operação do hub

Apesar dos ajustes realizados pela Fraport para a operação do hub ainda há problemas a serem superados

Chegada a Paris do primeiro voo da Joon, partindo direto de Fortaleza. A operação evidenciou os ajustes que ainda precisam ser realizados na área de embarque internacional do Aeroporto Pinto Martins ( Fotos: Yohanna Pinheiro )
00:00 · 07.05.2018 / atualizado às 09:47 por Yohanna Pinheiro* - Repórter
Passageiros da companhia francesa têm à disposição duas refeições quentes, com entrada, sobremesa e bebidas, além de lanches que podem ser comprados à parte

Voar diretamente a Paris partindo de Fortaleza com a nova rota da Joon, na última sexta-feira (4), foi uma das primeiras provas de fogo para a ala internacional do Aeroporto Internacional Pinto Martins, ou Fortaleza Airport. Ajustes realizados pela Fraport para viabilizar a operação do hub de fato agilizaram os processos, mas ainda há problemas a serem superados. No dia anterior, o voo da KLM atrasou cerca de duas horas. No último sábado (5), o voo com destino a Amsterdã também atrasou cerca de duas horas.

A mudança do balcão check in internacional para a ala oeste do aeroporto trouxe mais conforto aos passageiros ao oferecer um espaço mais amplo e reservado, com cadeiras por perto. Por volta das 16h30, quando começou o despacho de bagagens, não havia grandes filas.

Por ocasião do voo inaugural, na quinta passada, a Air France organizou um quiosque de boas vindas para que os passageiros pudessem tirar fotos com placas em referência à operação. Os que participavam ganhavam chaveiros com a bandeira do Brasil e logomarcas das empresas Air France, KLM e Gol, que realizam as operações do hub.

A área dos detectores de metal continua no mesmo local e havia somente dois aparelhos de Raio-X disponíveis no momento, onde a fila já era um pouco maior.

Ajustes

Parte do atraso se devia também ao fato de muitos passageiros portarem líquidos nas bagagens de mão, o que é limitado a 100 ml no embarque internacional. Nesse caso, também precisam, necessariamente, estar dentro de sacos plásticos transparentes, hermeticamente lacrados.

Era perceptível que muitos passageiros optaram por descartar seus produtos - seja por estarem acima de 100 ml ou por não estarem em sacos plásticos. Próximo ao embarque era possível visualizar uma enorme caixa de acrílico armazenando dezenas de embalagens de desodorantes, shampoos e outros.

Na Polícia Federal, todos os seis guichês estavam com atendentes, o que tornou o processamento bastante ágil e sem filas. Após esses procedimentos, os passageiros chegam à ala de embarque internacional, onde ficam os portões A a C, a área de Duty Free, uma lanchonete e duas vending machines - uma para café e outra para produtos como chocolates, lanches e água.

Por volta das 17h, alguns passageiros já reclamavam que não havia café. A lanchonete não estava servindo em função de um trabalho no sistema de encanamento. Uma passageira pagou pelo café na máquina e não recebeu o produto. No entanto, ambos problemas foram superados cerca de meia hora depois, quando a lanchonete foi liberada para utilizar a água e a máquina voltou a funcionar.

O embarque começou no portão A por volta das 19h, onde os passageiros fizeram uma grande fila. Embora a companhia não tenha informado a quantidade de passageiros a bordo, a aeronave possui 278 assentos e era possível observar que a classe econômica estava cheia. O avião decolou por volta das 19h50.

Serviço de bordo

Na classe Premium Economy, com 21 assentos, os passageiros receberam um kit com travesseiro, lençol e fone de ouvidos, e, algum tempo depois, outro contendo uma nécessaire com pasta de dente e creme dental, máscara para dormir, um par de meias e protetores auriculares. Nessa classe, os assentos têm mais espaço para as pernas e estão distribuídos em três fileiras, sendo duas com dois assentos e uma com três. Na classe econômica, são também três fileiras: duas com dois assentos e uma com quatro, ao centro.

Durante o voo, são servidas duas refeições. O passageiro também pode comprar lanches à parte. O jantar é servido após cerca de duas horas de voo, e o menu da classe premium inclui Oshibori (toalha quente), entrada inspirada na oferta da classe Business, escolha entre dois pratos quentes, pão com queijo e sobremesa. É servida ainda uma bebida quente para finalizar a refeição, como café ou chá, além de uma cesta de doces antes de sair do avião. Durante o voo, também foram distribuídos dois tipos de chocolate.

A repórter viajou a convite da Air France-KLM

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.