Aponta ministério

Viagens nos feriados de maio devem gerar R$ 9 bi

01:00 · 30.04.2018
Image-0-Artigo-2394083-1
Objetivo é que brasileiros viagem para destinos nacionais e estimulem a economia no País ( Foto: Reinaldo Jorge )

Brasília. Maio será o mês de 2018 que deve favorecer o maior número de viagens de brasileiros pelo País. Segundo estimativas divulgadas pelo Ministério do Turismo (MTur), o período que se inicia nesta terça-feira será o mais lucrativo nesse quesito, injetando R$ 9 bilhões na economia brasileira durante as cerca de 4,5 milhões de viagens.

O motivo são os dois feriados que ocorrem no início e no fim do mês, que dão mais oportunidades para que as pessoas viagem por destinos nacionais.

Dois feriados

Para abrir o ciclo de viagens, segundo destaca o Ministério, será comemorado o Dia do Trabalho amanhã (1º). A possibilidade de os brasileiros enforcarem esta segunda-feira (30) e transformarem a data em um feriadão foi levada em conta na elaboração da pesquisa.

Com isso, seriam quatro dias de folga que abririam chance de mais pessoas viajando pelo País entre o fim de abril e início de maio deste ano.

Quatro semanas depois, para fechar a expectativa de longas viagens, será a vez do feriado de Corpus Christi (31 de maio), que sempre cai em uma quinta-feira.

O levantamento foi feito em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e indica que o número de viagens em maio deve superar as que serão feitas durante novembro, quando também haverá dois feriados prolongados (Finados e Proclamação da República).

Impacto

De acordo com o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, as datas são importantes para incentivar os turistas a conhecerem novos destinos dentro do Brasil e favorecer a economia de cada local visitado.

"O valor que será arrecadado comprova que as datas devem ser aproveitadas para ampliar o faturamento no turismo e impactar outras áreas de comércio como transportes e alimentação", afirmou Lummertz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.