FATURAMENTO DE R$ 134 MI EM FORTALEZA

Varejo terá melhor Natal em três anos

03:07 · 02.12.2009
Classe B deve puxar crescimento no faturamento do comércio neste Natal: 63,6% desta camada deve presentear

Os presentes de Natal deste ano devem movimentar R$ 134 milhões no comércio de Fortaleza, uma variação 8% superior a igual período de 2008. O melhor faturamento do último triênio. Os dados são da pesquisa "Potencial de Consumo do Fortalezense para as Festas de Fim de Ano", realizada, anualmente, pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC), ligada a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará - Fecomércio (CE). "O resultado é ótimo! Isso consolida um crescimento de 8 a 9% na taxa acumulada dos últimos 12 meses em relação a igual período do ano passado. Mesmo com a crise, podemos considerar o melhor resultado nos últimos três anos", afirma Alex Araújo, economista e superintendente da Fecomércio/ CE.

De acordo com o levantamento, feito com 1.375 entrevistados, entre os dias 19 e 20 de novembro, mais da metade dos consumidores da Capital (56,30%) pretendem comprar presentes natalinos, em 2009. Praticamente o mesmo percentual do ano passado (56,27%). Na opinião de Araújo, a variação positiva se deve ao crescimento do valor médio de consumo. "Neste ano, o ambiente de compra está mais tranquilo e com elevados níveis de otimismo, o que contribui para aumentar a disposição para consumir mais", declara o economista.

Classe média comprará mais

A pesquisa também indica que, na categoria socioeconômica, a classe B, com 68,26%, é a camada social que mais tem interesse em ir às compras neste Natal.

As classes A e C vem logo depois, com 65,63% e 58,03%, respectivamente. Ainda de acordo com o IPDC, as camadas D e E somam juntas 34,72% e completam a análise de intenção de compras do segmento.

"Este Natal vai ser puxado pela classe média. A classe B foi uma das que mais sofreu, em 2008, com a preocupação trazida pela crise econômica, por isso evitou se endividar. Agora, o consumidor dessa camada tem maior facilidade para adquirir crédito e há uma variedade maior de produtos disponíveis no mercado", ressalta Alex Araújo. A pesquisa do IPDC também aponta que o pagamento à vista (em espécie, cheque ou cartão de débito) é a forma predileta para comprar neste período na opinião de 71,05% dos consumidores. Em seguida, entre os pagamentos a prazo, o cartão de crédito (38,82%) detém a preferência, ficando a frente de carnês (2,41%) e cheques pré-datados (0,66%).

O IPDC confirma que, este fim de ano, o Shopping Center será a praça de compra mais procurada pelos fortalezenses. A pesquisa sinaliza que 38,38% dos consumidores tem intenção de se deslocar a um shopping para adquirir produtos no Natal. As lojas e galerias comerciais do Centro da cidade vem logo depois, com 33,55%. Lojas de rua em outros bairros aparecem, muito próximo, com 30,26%. "Praticamente, há um equilíbrio no lugar de compra. Temos que levar em consideração que as classes C, D e E representam 60% do todo, e dão preferência ao Centro. Porém, a cada ano, os shoppings estão ganhando mais espaço em virtude do grande mix de produtos, horário diferenciado de funcionamento, decoração atraente, além da questão da segurança", define Araújo.

Vestuário lidera

Sobre os tipos de presentes, nenhuma novidade: o setor de vestuário - com 51,54% - é disparado o item mais citado entre os entrevistados. Brinquedos (27,41%) e bolsas e calçados (25,66%) aparecem, respectivamente, em segundo e terceiro lugares. Demais itens vem logo em seguida: perfumes (12,28%), telefones celulares (8,11%), bicicletas (5,48%), bijuterias (5,26%), eletrodomésticos (4,39%), televisões (3,95%), bombons e chocolates (3,95%), móveis (3,51%) e livros (3,29%). Completam a lista câmeras digitais (2,95%) e CDs/ DVDs (2,41%).

ILO SANTIAGO JR.
ESPECIAL PARA ECONOMIA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.