Unidade do Grupo no Ceará segue operando

00:00 · 19.05.2017 / atualizado às 00:08
Image-0-Artigo-2243790-1
Em 2013, a fábrica instalada em Cascavel recebeu investimentos da ordem de R$ 40 milhões

A unidade do Grupo JBS no Ceará, em Cascavel, especializada na produção de couros para calçados e outros artefatos, segue operando normalmente. A fábrica, que em 2013 recebeu investimento de R$ 40 milhões com a inauguração de uma fábrica no complexo industrial de 75 mil metros no Ceará, tinha aproximadamente 1.900 funcionários na época. O número do quadro atual de colaboradores em Cascavel não foi informado.

LEIA MAIS

.Incertezas regem os rumos da economia

.Temer teria adiantado corte de juros à JBS; Banco nega

.Setor produtivo mostra apreensão com o futuro

.'Reformas da Previdência e da CLT não têm como avançar'

.Dólar dispara mais de 8%; maior alta em 18 anos

.JBS teria comprado grande volume

.Combustível: preço pode ter aumento

As exportações da JBS referentes à produção em Cascavel já chegaram a quase R$ 450 milhões em 2012, antes do investimento realizado em 2013 na unidade, que produz couros semi e acabados, com foco nos mercados da Europa, Ásia e América do Norte, atendendo os segmentos moveleiro e automotivo.

Em janeiro deste ano, a empresa aderiu à troca de combustíveis fósseis pela mistura de casca de castanha-de-caju e babaçu para o aquecimento de caldeiras. Com a substituição de combustível pelo material orgânico, a planta alcançou economia de cerca de 50% em custos.

Após ser deflagrada a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, escândalo que envolveu a JBS, a companhia anunciou férias coletivas em 10 de suas 36 unidades espalhadas pelo País. Foram afetadas uma fábrica em São Paulo, três em Mato Grosso do Sul, uma em Goiás, quatro em Mato Grosso e uma no Pará. Na época, A JBS disse estar empenhada em manter o emprego de seus 125 mil colaboradores.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.