Joon e KLM

Taxa média de ocupação de voos chega a 85%

Intenção de tornar as frequências entre a Capital cearense e as duas cidades europeias diária foi confirmada

01:00 · 05.05.2018
Image-0-Artigo-2396474-1
Na noite dessa sexta-feira, o primeiro voo da Joon para Paris contou com aeronave com capacidade praticamente completa, confirmando a informação dos executivos da companhia ( Foto: Yohanna Pinheiro )

Os resultados para o grupo Air France-KLM com as operações para Paris e Amsterdã já podem ser sentidos. De acordo com Patrick Alexandre, vice-presidente Global de Alianças do Grupo, a taxa média de ocupação dos voos da Joon e KLM estão em 85%. Além disso, ele reforçou o fato de os voos não se conectarem apenas aos três destinos (Fortaleza, Amsterdã e Paris), mas também a uma rede de mais de 300 cidades em mais de 100 países da Europa e Ásia.

Questionado sobre a possibilidade de haver voos diários entre a Capital e as duas cidades europeias, Patrick Alexandre, reforçou o incremento de cinco para seis frequências semanais a partir de outubro. "A gente quer o quanto antes que estes voos sejam diários, no caso 14 no total por semana (considerando sete para Paris e sete para Amsterdã). Existe definitivamente a intenção da gente fazer estes voos diários", acrescentou.

LEIA AINDA:

> Fortaleza tem maior hub de conexões internacionais fora do eixo Rio/SP
> Companhias vão oferecer stopover de 3 dias na Capital
> Escolas de turismo terão aporte de R$ 50 milhões 
> Stopover: incentivos estão em discussão com trade

O CEO da KLM, Pieter Elbers, afirmou que é preciso ter cautela neste momento. "Nós começamos agora com esses cinco voos semanais, então nós vamos fazer todo o passo a passo. Não temos muitos destinos na malha atualmente aqui em Fortaleza que justifique os voos diários para Paris e Amsterdã, mas no futuro é algo sim a ser pensado pelo Grupo", ponderou.

Novas operações

A sinalização do grupo franco-holandês de ter futuramente voos diários para a Europa é um indício de que as conexões de Fortaleza para as regiões Norte e Nordeste deverão aumentar nos próximos anos. As projeções de Paulo Kakinoff, CEO da Gol, dão conta de que o hub deverá crescer entre 20% e 30% anualmente. "O hub tradicionalmente cresce de maneira orgânica. É um ciclo virtuoso em que cidades que não são atendidas é porque ainda não apresentam uma demanda específica que justifica um voo. Quando o hub vai ganhando massa crítica, se obtém diversas origens em direção ao centro de conexões. Este é um processo de longo prazo, de cerca de quatro ou cinco anos. Dessa forma, com esse crescimento de até 30% nós teríamos cerca de 30% também no acréscimo de novos destinos", explicou.

Aviação regional

Os planos do Governo do Estado são de desenvolver a aviação regional ao ofertar voos para seis cidades cearenses, com aeronaves menores e parcerias da Air France-KLM e Gol. "Estamos tentando atender uma demanda do governo. Estamos numa fase de estudo para entender se há viabilidade ou não para trabalhar em parcerias com as empresas. Não temos nada de concreto para ser anunciado e temos muito trabalho pela frente", disse. Apesar disso, o secretário Arialdo Pinho (Turismo), afirmou que ainda neste ano os voos regionais estarão disponíveis. "A empresa já fez a última inspeção com a Gol para entrar nos parâmetros internacionais. Estão terminando a última etapa dessa regulamentação e em paralelo em negociação com a Gol. Eu tenho uma reunião com a Gol na próxima semana e até julho já estamos com isso rodando", contou.

Promoção e investimentos

Ainda de acordo com Arialdo Pinho, operadores de turismo da França estão no Ceará para "descobrir" o destino. "Em como vender o Ceará na parte da cultura e esporte. Eles estão tateando em como chegar ao mercado com o produto certo lá na Europa", acrescentou.

O governador do Estado, Camilo Santana, e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, disseram que estão ampliando os investimentos no sentido de promover os destinos locais na Europa e na Ásia.

Hotelaria

Para atrair cada vez mais turistas ao Estado, o secretário do Turismo também disse que está trabalhando em negociação com redes de hotéis internacionais para desenvolver duas regiões do litoral para o desenvolvimento de resorts.

"Estamos trabalhando uma área do lado leste e do lado oeste do litoral para os resorts. Já temos negociação com um Vila Galé e um Hard Rock para os lados de Jericoacoara", destacou Arialdo Pinho. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.