Aponta IBGE

Serviços prestados às famílias no CE sobem 8,9%

Clique sobre a imagem para ampliar
01:00 · 16.05.2018

As famílias cearenses contrataram mais serviços no mês de março. O volume de serviços prestados às famílias no Estado cresceu 8,9% em comparação com igual mês do ano passado. As informações são da Pesquisa Mensal dos Serviços (PMS), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dos cinco segmentos analisados no levantamento, somente serviços prestados às famílias foi positivo no Ceará, na série sem ajuste sazonal. Os serviços profissionais, administrativos e complementares foram o destaque entre os que caíram, se retraindo 21,6%. Também apresentaram variação negativa outros serviços (-9,7%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-5%), segundo informou o IBGE.

No geral, o setor de serviços se retraiu 8,9% no Estado em março, ante igual mês de 2017, a quarta pior variação do Brasil.

Por outro lado, o Ceará avançou 3,6% em março ante fevereiro deste ano, consolidando-se como o quarto maior crescimento do País, atrás apenas do Maranhão (3,8%), Distrito Federal (4,1%) e Tocantins (29,9%). O resultado local também foi melhor que a média nacional, que sofreu redução de 0,2% em março ante fevereiro. No acumulado dos três primeiros meses de 2018, o Ceará apresenta queda de 9,3%, menor do que o registrado em fevereiro (-9,4%). Nos últimos 12 meses, a variação foi negativa em 9,1%.

Atividades turísticas

As atividades turísticas em março apresentaram o segundo maior avanço do Brasil, crescendo 5,4% em relação a fevereiro. Somente o estado de São Paulo registrou crescimento mais expressivo (7,2%). A média nacional aumentou 2%.

Já na comparação entre março desse ano e igual mês do ano passado, as atividades turísticas do Estado do Ceará não variaram (0,0%). Apesar da estabilidade, o Estado ainda ficou à frente do patamar nacional, que caiu 0,9%, segundo o IBGE.

Brasil

O setor de serviços fechou o mês de março com queda de 0,2% em relação a fevereiro, na série com ajuste sazonal. Com a retração de fevereiro para março, o setor fechou os primeiros três meses do ano com queda acumulada de 1,5%. Já o resultado acumulado dos últimos 12 meses fechou negativo em 2%. Os dados da pesquisa indicam que, em relação a março do ano passado, na série sem ajuste sazonal, o volume de serviços variou -0,8%.

Do ponto de vista da receita nominal do setor, o crescimento foi de 1,8% de fevereiro para março, com o acumulado do trimestre fechando em 1% e o dos últimos 12 meses em 2,5%. Na comparação com março do ano passado, o crescimento foi de 1,9% na receita nominal do setor. Segundo o IBGE, a queda de 0,2% de fevereiro para março deste ano reflete variações negativas em três das cinco atividades investigadas, com destaque para serviços profissionais, administrativos e complementares, cuja retração foi de 1,8%. Os demais resultados negativos vieram dos segmentos de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-0,8%) e de outros serviços (-0,4%).

O s serviços prestados às famílias tiveram expansão de 2,1%. Já o agregado das atividades turísticas subiu 2% em relação a fevereiro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.