PROJETA IBGE

Safra cearense deve atingir 541,8 mil t; alta de 10%

Crescimento é relativo à primeira estimativa realizada pelo órgão, neste ano, que previa 492.667 toneladas

Entre os produtos que apresentaram crescimento na projeção de safra para este ano, estão o feijão-de-corda, o milho, a fava e o algodão ( FOTO: HONÓRIO BARBOSA )
01:00 · 13.06.2018

A projeção da safra agrícola cearense, divulgada ontem (12), cresceu quase 10% em relação à estimativa de janeiro deste ano. De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no período de 16 de abril a 15 de maio, o levantamento mostrou que a produção deve chegar a 541.812 toneladas. No início do ano, a projeção era de 492.667 toneladas. Em relação à safra de 2017, a alta foi de 2,6%.

Segundo a coordenadora do censo agropecuário do Ceará, Regina Feitosa, este número deverá ser maior porque a quadra chuvosa deste ano foi muito boa. "Os resultados ainda devem ser melhores porque os técnicos estão em campo, a quadra chuvosa foi ótima e a tendência é que este número aumente. Este ano está uma melhoria", acrescentou.

"O que é preciso destacar que agora em maio as culturas de sequeiro que não são irrigadas já estão definidas então a partir disso a gente começa o levantamento de rendimento desses produtos de sequeiro", observou a coordenadora. De acordo com ela, ao longo do ano os produtores estão mais otimistas.

Grãos

Deste grupo de 12 produtos, apresentaram elevação na expectativa de produção: o arroz de sequeiro, feijão-de-corda 1ª safra, feijão-de-arranca 1ªsafra, feijão-de-corda 2ª safra, milho de sequeiro, a fava e o algodão herbáceo de sequeiro. De acordo com o IBGE, apresentaram redução na expectativa de produção o amendoim e mamona. Já o feijão-de-corda 1ª safra apresentou crescimento da expectativa de produção em mais de 30 municípios. Segundo o relatório, os resultados foram possíveis em consequência da atualização do rendimento tendo em vista a boa quadra chuvosa deste ano. Em relação ao feijão-de-corda 2ª safra, o produto apresentou crescimento da expectativa de produção em Caririaçu e Senador Pompeu. A fava e o algodão herbáceo também demonstraram crescimento da expectativa de produção.

Já o amendoim e a mamoma tiveram a expectativa de produção reduzida por fatores como a dificuldade de acesso às sementes e a falta de incentivo governamental.

Frutas

No grupo das frutas frescas, composto por 18 produtos, cinco apresentam crescimento na expectativa de produção (banana de sequeiro, goiaba de sequeiro, manga de sequeiro, maracujá e seriguela) e seis apresentam redução (abacate, acerola, banana irrigada, mamão, melancia irrigada e melancia de sequeiro).

No grupo de frutos secos, "a castanha-de-caju (comum) apresentou elevação na expectativa de produção em Aracoiaba e Ocara. A castanha-de-caju (anão) apresentou elevação na expectativa de produção em Aracoiaba, Missão Velha e Ocara", afirma o IBGE.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.