Refinaria no Estado será 4ª maior do País - Negócios - Diário do Nordeste

MAIOR QUE A DE PERNAMBUCO

Refinaria no Estado será 4ª maior do País

14:37 · 15.07.2008
( )

Caso realmente se concretize, a refinaria que o Ceará vai abrigar será a quarta maior do País em capacidade de produção

O Ceará fica cada vez mais próximo de garantir a tão sonhada refinaria. Depois de perder uma usina para Pernambuco, em 2005, de muita luta e desgastes políticos, o Estado deverá receber agora, uma planta ainda maior. Contudo, para isso, o Estado precisa garantir pré-requisitos exigidos pela Petrobras.

´Estamos discutindo as questões. Há grandes possibilidades de a refinaria vir para o Estado. Mas definido não está, estará quando vier aqui o presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, e junto comigo anunciar´, afirmou ontem, o governador Cid Gomes, após reunião à tarde com diretores da estatal.

Sem concorrência

Os diretores da Petrobras trouxeram à reunião um estudo completo mostrando como será a refinaria e como o Ceará deverá se equipar para implantá-la. Não há, pelo menos inicialmente, como se especulou bastante, qualquer concorrência com outro Estado para este projeto.

A chamada Premium 2 — cuja existência do projeto foi apresentada com exclusividade pelo Diário do Nordeste — foi planejada para cá, como garante o diretor de Abastecimento da petrolífera, Paulo Roberto Costa, que esteve presente ao encontro. ´Esse é um projeto específico para o Ceará, a partir de uma avaliação que a Petrobras fez, envolvendo toda a parte de estudos técnico e econômico, ambiental e social da estatal´. Segundo ele, esse estudo foi feito na época em que o Ceará disputava a primeira refinaria anunciada para o Nordeste, com Pernambuco. ´Esse projeto foi aprovado recentemente, o que resultou na nossa vinda aqui´, justificou.

A Premium 2 consumirá investimentos da ordem de US$ 11,1 bilhões e será construída em duas etapas. A primeira, prevista para iniciar as operações em 2014, poderá fazer o refino de 150 mil barris de petróleo por dia. A segunda fase, que duplicará a capacidade (totalizando 300 mil barris/dia), deve estar pronta até 2016.

Quarta maior

Existem, hoje, apenas duas refinarias em operação com capacidade acima da prevista para a Premium 2: a Refinaria do Planalto Paulista (Replan), em Paulínia (SP), com capacidade para 340 mil barris/dia, e a Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, com 330 mil barris/dia. Considerando a unidade Premium, que deverá ser instalada no Maranhão, para refino de 600 mil barris/dia destinados á exportação, a possível refinaria cearense será a quarta maior do País.

Ficará, inclusive, maior do que unidade a ser localizada em Pernambuco, de 200 mil barris/dia — objeto de muitas brigas políticas, quando, na época, foi anunciada para o outro Estado apresentando-se como razão uma preferência da PDVSA, sócia venezuelana.

Derivados

A nova planta de refino terá sua produção voltada preferencialmente para a exportação, com 70% do total de derivados sendo composto de nafta (matéria-prima básica para toda a cadeia de resinas plásticas) e diesel, para o mercado externo. Segundo o governador Cid Gomes, parte da produção será destinada também, ao mercado interno.

Os outros 30% serão de querosene para aviação, GLP (gás liqüefeito de petróleo) e CVP (coque verde de petróleo, subproduto com vasto emprego no segmento industrial: cimenteiras, produtores de cal, papel celulose, cerâmicas, etc.).

Termo de compromisso

A intenção da Petrobras é assinar, em prazo máximo de 120 dias, um termo de compromisso com o Ceará para a construção da refinaria. Todavia, para que este seja realizado, é preciso que todas as pendências técnicas apontadas pela estatal estejam devidamente resolvidas. ´A Petrobras deseja dar a maior celeridade possível a esse processo. Eles colocaram aqui, que desejam ter todas essas definições em 120 dias. Pelo meu gosto, e eu disse para eles, a gente pode fazer isso num prazo menor. E nós vamos aqui, no Estado do Ceará, cuidar para que as questões estejam aprofundadas, discutidas e acertadas no prazo mais rápido possível´, garantiu o chefe do executivo cearense. Durante a reunião, foram definidos seis grupos específicos de trabalho, formados pelo governo e Petrobras para avaliar questões como terreno, infra-estrutura, assuntos tributários e licenciamento ambiental. Hoje, os grupos apresentam, às 12h30, no Palácio Iracema, os resultados desse trabalho ao governador e, posteriormente, levadas para apreciação do presidente da petrolífera.

INFRA-ESTRUTURA
Recuperação de rodovia é ação inicial

O governador Cid Gomes deverá lançar hoje, em Caucaia, as obras de recuperação da CE 085, que chega até o Porto do Pecém.

Essa medida, segundo ele, já é uma das ações que dotará o Complexo Industrial de Infra-estrutura para receber a refinaria da Petrobras. Além desta, o governo também pretende realizar a duplicação da BR 222 até o acesso ao Pecém. O projeto já está licitado.

Além dos acessos rodoviários, o governador afirmou que o Estado se mobiliza em várias outras áreas para garantir as exigências da petrolífera.

Água e energia

Em algumas situações, o Ceará já está dotado de infra-estrutura suficiente, garante ele. ´Água era uma preocupação deles, nós já cuidamos. Energia, nós já informamos, está disponível. Em matéria de acesso rodoviário, não teremos problemas. Eles demandaram ampliações no porto. Parte do que eles necessitam eu já devo, no dia 19, fazer uma discussão do edital pra lançar a licitação da obra de ampliação´, aponta. ´A gente já está tirando deles algumas preocupações, tranqüilizando muitas delas´, comenta Cid. ´Terreno, nós já colocamos alternativas. Eles vão precisar de cerca de mil e quatrocentos hectares no Complexo do Pecém. Já têm algumas alternativas, que pode ser Caucaia ou em São Gonçalo do Amarante´, acrescenta o governador.

Sérgio de Sousa
Repórter

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.