mcmv em FORTALEZA

Prefeitura prevê entrega de 10 mil casas em 2016

Nos últimos 2 anos e 11 meses, só foram inauguradas 755 unidades habitacionais na Capital

00:00 · 01.12.2015 por Murilo Viana - Repórter
Image-0-Artigo-1977569-1
Prefeitura pretende realizar outros dois sorteios em 2016 para definir mais beneficiados

Apesar de terem sido entregues apenas 755 unidades do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) em Fortaleza nos últimos 2 anos e 11 meses - quantidade correspondente a 2,5% do total de habitações já contratadas para a Capital (30 mil) - a gestão municipal prevê que as inaugurações sejam aceleradas no próximo ano. O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, calcula que aproximadamente 10 mil unidades do programa devem ser entregues no município apenas em 2016.

Desse total, 3.304 casas estão em fase de acabamento. As famílias beneficiadas irão receber as chaves até março do próximo ano e serão definidas em um sorteio na próxima sexta-feira (4), às 9h, na Câmara Municipal. Serão 2,8 mil unidades do Conjunto Alameda das Palmeiras, no Ancuri; e 504 do Complexo Escritores, no bairro Messejana, que inclui 192 casas no Residencial Rachel de Queiroz e 312 no Residencial Graciliano Ramos.

O gestor projeta que, no próximo ano, o Alameda das Palmeiras tenha outras 2,5 mil unidades inauguradas. Ainda segundo o prefeito, também devem ser entregues em 2016 cerca de 2,5 mil casas no Residencial Cidade Jardim II, no Conjunto Prefeito José Walter; 500 no Residencial Luiz Gonzaga, no Ancuri; e todas as 2.992 unidades do conjunto habitacional José Euclides, no Jangurussu.

D

Sorteio

Irão participar do sorteio da próxima sexta-feira os que efetuaram inscrições no MCMV até o último dia 13 de novembro. No total, são 88.068 cadastrados que estão aptos a participar desta vez. Os demais inscritos poderão ser contemplados em outras oportunidades. "Pretendemos fazer mais dois sorteios no próximo ano. Parte das casas que serão entregues é para a demanda vinculada (famílias que são desocupadas por conta de obras como a do VLT ou por terem direito às unidades do programa por decisões judiciais, por exemplo", afirma Roberto Cláudio. As quantidades de casas dos próximos dois sorteios vão depender do nível de execução de obras.

Do total de 3.304 unidades, serão sorteadas primeiramente 3%, destinadas somente a famílias com pessoas que tem deficiência física, e outros 3% exclusivamente para famílias em que o chefe ou cônjuge é idoso (maior de 60 anos).

Os não contemplados nesses grupos e o restante dos que se cadastraram até 13 de novembro serão sorteados de acordo com seis critérios de prioridade: famílias que moram em áreas de risco; que são chefiadas por mulheres; que possuem integrantes idosos ou deficientes; que são beneficiárias do aluguel social; que são numerosas (com mais de três pessoas dividindo um mesmo cômodo como dormitório); e que possuem doenças crônicas graves, como câncer, Aids, hemofilia ou cardiopatias.

Uma fatia de 75% das unidades será destinada a um grupo composto de cadastrados que possuem de cinco a seis dos critério. Os outros 25% serão sorteados para um grupo, cujas pessoas se enquadram em até quatro critérios. Para cada grupo, será selecionado ainda um percentual de 30% a mais, para o cadastro reserva. Os ganhadores irão receber as casas após validação das informações fornecidas no cadastro pela Caixa e pelo Banco do Brasil. Caso elas sejam falsas, a pessoa selecionada é excluída do processo.

Conteúdo complementar

Confira a lista dos que estão aptos a participar do sorteio nesta sexta-feira
http://bit.ly/sorteiomcmv

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.