DÓLAR AVANÇA

Petrobras sobe, devolve perdas e puxa a Bovespa

01:00 · 30.05.2018

São Paulo. Após cair mais de 4% na segunda-feira (28), a Bolsa brasileira voltou a subir nesta terça (29), interrompendo quatro sessões seguidas de perdas, impulsionada pela recuperação da Petrobras.

O Ibovespa avançou 0,95%, para 76.071 pontos. No dia, o indicador chegou a subir mais de 2%, mas o índice foi barrado em parte pelo mau humor no exterior - Bolsas dos Estados Unidos e da Europa fecharam em queda forte com temores sobre o futuro político na Itália.

> Ceará tem uma rodovia interditada; efeitos se agravam  no Interior
> PIB da pecuária do Ceará sofre perda de R$ 43,5 mi 
> CNDL pede preços estáveis, e CNI apela pelo fim do movimento 
> Indústria química começa a parar hoje no Estado 
> 12 tipos de hortaliças e frutas já estão em falta 
> TST declara ilegalidade e impõe multa diária
> Retirada da Cide prejudica setor da construção pesada
> 'Manifestação é justa', diz Camilo Santana

Apesar da alta, o Ibovespa não conseguiu recuperar ganhos e fechar o acumulado do ano no azul: cai 0,43% em 2018.

As ações da Petrobras subiram 14,13% (preferenciais) e 12,38% (ordinárias), praticamente repondo as perdas do dia anterior, com a paralisação dos caminhoneiros no País.

Moeda

O dólar subiu pela quarta sessão consecutiva influenciada não só pelos impactos da crise nacional, mas também pela aversão geral a risco no exterior. O dólar comercial avançou 0,29%, para R$ 3,74. O à vista subiu 0,44%, cotado a R$ 3,737.

No exterior, o dólar tinha forte alta ante outras moedas, e subiu para a máxima contra o euro desde julho de 2017, com a liquidação no mercado de títulos na Itália devido ao aumento das preocupações políticas.

O Banco Central vendeu toda a oferta de até 15 mil novos swaps cambiais tradicionais, totalizando US$ 6,5 bilhões.

Ações

Das 67 ações do Ibovespa, 35 caíram e 32 subiram. Além da Petrobras, avançaram 6,04% as ações da Ultrapar, dona da distribuidora de combustíveis Ipiranga, fortemente impactados pela paralisação dos caminhoneiros.

As siderúrgicas, que haviam sido castigadas no pregão anterior, registraram alta. A CSN subiu 4,22%, a Usiminas subiu 2,51% e a Gerdau avançou 1,48%. A Vale caiu 1,78%.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.