Fundos de Investimento

Parque eólico no Ceará é posto à venda

01:00 · 10.02.2018
Image-0-Artigo-2361985-1
Complexo eólico em Trairi foi construído com investimentos de mais de R$ 500 milhões e tem uma capacidade instalada de 136,5 megawatts

Fundos de investimentos ligados ao Banco do Brasil e o banco Votorantim, além da empresa Enerplan, teriam decidido estar dispostos para negociar um complexo de usinas eólicas no Ceará em que são sócios. As informações, segundo a agência de notícias Reuters, foram confirmadas por três fontes diferentes.

Formado por cinco usinas, o parque eólico Faísa, construído com investimentos de mais de R$ 500 milhões soma uma capacidade instalada de 136,5 megawatts e está em operação na cidade de Trairi, a 80 quilômetros de Fortaleza. A possível venda ocorre em um cenário de interesse crescente de investidores por ativos de energia renovável, que estão ganhando competitividade no Brasil.

"O parque Faísa está à venda, e já deve ter gente olhando", disse uma das fontes, que participa de processos de fusões e aquisições e falou sob a condição de anonimato à Reuters.

Um segunda fonte ouvida pela agência afirmou que foi sondada em relação à possível compra do parque eólico, mas preferiu não dar mais detalhes sobre a negociação do equipamento.

Início

A usina cearense havia sido comprada pelos fundos FIP-IE BB Votorantim Energia Sustentável I, II e III e pela Enerplan em 2012, e eles investiram cerca de 540 milhões de reais para a construção do empreendimento, que teve a produção vendida antecipadamente em um leilão de energia realizado pelo governo federal no ano de 2009.

Mas o parque foi inaugurado apenas em 2014, utilizando turbinas eólicas da fabricante indiana Suzlon, que recentemente anunciou encerramento das atividades no Brasil.

Empecilho

A saída desse fornecedor tem dificultado o processo de venda das usinas, considerando que as o novo dono provavelmente precisará buscar um outro fabricante para prestar serviços de operação e manutenção dos equipamentos usados. "Quando a Suzlon saiu do Brasil, o parque perdeu valor", disse a fonte, sob regime de anonimato, à Reuters.

As fontes procuradas pela agência, no entanto, não comentaram sobre os possíveis valores da negociação das usinas.

A última compra realizada em território brasileiro relacionada a um parque eólico realizada pela joint venture entre Votorantim e CPPIB, teve as empresas envolvidas comprando um parque da Casa dos Ventos na divisa entre o Piauí e Pernambuco, de 359 megawatts, que recebeu investimentos de cerca de R$ 1,8 bilhão.

Histórico

O braço de energia do Votorantim anunciou no final de 2017 uma joint venture para investimentos em energia limpa no Brasil junto ao Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB), incluindo a transferência para a nova empresa de um parque eólico no estado do Piauí.

O complexo de Faísa não entrou na negociação. A Votorantim Asset e o Banco do Brasil afirmaram que não irão comentar sobre o assunto.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.