impacto nas viagens

Uber vai repassar custos de nova legislação aos passageiros de Fortaleza

Prefeitura vai cobrar 2% sobre o preço das corridas para a utilização das vias da Capital por parte das empresas

11:29 · 25.06.2018 / atualizado às 16:59
Uber
Diálogo com a Prefeitura de Fortaleza continua, garante Uber ( Foto: Divulgação/Uber )

Os usuário da Uber passarão a arcar com os custos que serão repassados pela Prefeitura à plataforma e a expectativa é de um impacto no valor final das viagens. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (25) pela gerente de Comunicação da Uber, Atalija Lima.

"A grande questão que vai pesar realmente é a do preço público que se refere ao repasse de 2% do valor das corridas. Isso sim seria repassado diretamente ao usuário. A princípio seria o passageiro que arcaria com essa porcentagem. Nós avisaremos a todos os usuários de quanto seria esse aumento no valor de cada viagem. Isso também pode afetar muitos motoristas", diz ela.

O valor se refere à cobrança de uma taxa de 2% sobre o preço das corridas para a utilização das vias de Fortaleza por parte das empresas de transporte. A nova legislação para os aplicativos deve entrar em vigor no próximo mês. O prefeito Roberto Cláudio sancionou no início de junho a lei que regulamenta as plataformas. 

Diante desse cenário, Lima afirma ainda que a Uber vai continuar o diálogo com a Prefeitura para ajustar alguns pontos. "No momento a gente está estudando todas as nossas possibilidades, mas o que a gente tem é experiência em outras cidades do Brasil onde legislações negativas acabaram sendo revertidas depois. Então o nosso diálogo continua. Continuamos conversando com o poder público, continua conversando com vereadores. O que a gente quer é que ninguém saia prejudicado nessa situação", acrescenta.

De acordo com Lima, a Uber cobra 25% do valor da viagem aos motoristas da plataforma. "Essa taxa tende a cobrir o atendimento aos parceiros, eventuais cursos de qualificação, manutenção da plataforma". 

A Prefeitura não quis se posicionar sobre o assunto. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.