exportação

Trump prorroga isenção a tarifas sobre aço do Brasil e outros países

As sobretaxas começariam a valer nesta terça (1º), mas o americano decidiu prolongar a isenção por mais um mês ao Brasil, à Argentina, à União Europeia e à Austrália

Os EUA são o maior comprador do aço brasileiro — e uma sobretaxa de 25%, como anunciara o americano, poderia comprometer as exportações do Brasil ( Foto: AFP )
23:30 · 30.04.2018 por Folhapress

 A poucas horas do prazo final, o presidente dos Estados Unidos, Donald  Trump, decidiu prorrogar, na noite desta segunda (30), a suspensão do aumento das tarifas de importação sobre o aço e o alumínio, que afetariam significativamente a indústria siderúrgica brasileira.

As sobretaxas começariam a valer nesta terça (1º), mas o americano decidiu prolongar a isenção por mais um mês ao Brasil, à Argentina, à União Europeia e à Austrália, de acordo com o Wall Street Journal.

A suspensão, assim, valerá até o dia 1º de junho. A Casa Branca ainda não havia confirmado a informação até as 21h30 (de Brasília).

Os EUA são o maior comprador do aço brasileiro — e uma sobretaxa de 25%, como anunciara o americano, poderia comprometer as exportações do Brasil. Depois de anunciar as tarifas em março, sob o argumento de proteger a segurança nacional e a indústria siderúrgica dos EUA, Trump decidiu suspender temporariamente a sobretaxa, abrindo negociações bilaterais com os principais exportadores dos produtos.

O Brasil enviou comitivas a Washington e contratou um dos principais escritórios de advocacia e lobby da cidade para ajudar nas tratativas.

Além dos quatro países que obtiveram a prorrogação, a Coreia do Sul conseguiu uma isenção definitiva das sobretaxas por meio da negociação de um novo acordo de comércio com os EUA, segundo o Wall Street Journal.

México e Canadá, por outro lado, devem continuar poupados enquanto durarem as negociações do Nafta, o acordo de livre-comércio da América do Norte.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.