TIM nega derrubar sinal de propósito e diz que erro foi da Anatel

18:11 · 07.08.2012 por Diário do Nordeste Online

Depois da publicação de um relatório emitido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta terça-feira (7) que acusava a TIM de interromper de propósito chamadas feitas por clientes do plano Infinity, a operadora se pronunciou e negou veementemente que as quedas nas ligações fossem motivadas por ação deliberada.

O relatório informa que a Anatel monitorou todas as ligações entre março de 2009 e maio de 2012, em todo o Brasil, e comparou as quedas das ligações de usuários Infinity e de outros planos, concluindo que a TIM encerra de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity. O documento aponta, ainda, que o índice de queda de ligações é quatro vezes superior no plano Infinity.

Em nota oficial, a operadora de telefonia móvel declarou que o conteúdo do relatório é proveniente de um escritório regional da Anatel e que já foi analisado pela equipe técnica da agência em Brasília. "Foram identificados graves erros de processamento, que alteram as informações apresentadas e levam a conclusões erradas", declarou a TIM no fim da tarde desta terça-feira (7).

A operadora se defendeu, reafirmando que segue com a execução do Plano de Ações de Melhoria que prevê a expansão da capacidade de rede de voz em 75% e de rede de dados em 430%.

Prejuízos

O Ministério Público do Paraná (MP) pediu que a TIM seja condenada a indenizar todos os consumidores de plano Infinity pelos prejuízos que sofreram desde seu lançamento, em março de 2009, com a devolução em dobro dos valores cobrados indevidamente pela operadora.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.