Prejuízo

Países que anunciaram embargo ao Brasil respondem por 34% das exportações de carne bovina

Até agora, China, Chile e Coreia do Sul anunciaram a suspensão da aquisição de carne brasileira, enquanto a União Europeia suspendeu a compra de quatro empresas

18:26 · 20.03.2017 / atualizado às 18:47 por Estadão Conteúdo
Carne Fraca Operação PF China Chile Coreia do Sul União Europeia embargo Brasil exportações
Três países e a União Europeia já anunciaram restrições à importações de carnes brasileiras ( Foto: Arquivo )

Os três países que anunciaram embargo à carne brasileira, juntamente com a União Europeia, responderam por 34,24% das exportações de carne bovina e 20,16% das de frango em 2016. Até agora, China, Chile e Coreia do Sul anunciaram a suspensão da compra de carne brasileira e o bloco europeu suspendeu a compra de quatro empresas.

LEIA MAIS:

.Vários países já adotam restrições à carne e frangos brasileiros

De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as exportações brasileiras de carne bovina congelada, fresca ou refrigerada somaram US$ 4,344 bilhões no ano passado. Principal importador do produto brasileiro, a China respondeu por 16,71% deste total, com gastos de US$ 702,7 milhões.

RESTRIÇÕES À CARNE BRASILEIRA
Create your own infographics

A União Europeia comprou 11,24% do total, com gastos de US$ 488 141 milhões. Em seguida está o Chile, que ocupa a nona posição no ranking de compradores de carne em geral e importou 6,81% do total vendido ao exterior (US$ 296 milhões). A Coreia do Sul respondeu por apenas 0,01% das exportações de carne bovina, com gastos de US$$ 641 mil.

No caso da carne de frango, o total exportado em 2016 foi de US$ 5,946 bilhões. A China sozinha comprou 14,45% do total, com gastos que somam US$ 859,482 milhões. Já a Coreia do Sul foi responsável por 2,85% das exportações do produto (US$ 165,565 milhões). O bloco europeu comprou 1,97% do total (US$ 117,082 milhões) e o Chile respondeu por apenas 0,88% do total (US$ 52 470 milhões).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.