Gasto mensal com cães chega a R$ 389

44% dos criadores de animais consideram pets membros da família

Sandro Cimatti, diretor geral da CVA Solutions, afirma que a média de gasto vem aumentando à medida que os bichos mudaram seu papel dentro de casa

O gasto médio mensal de um dono de cachorros é R$ 389 ( Foto: Helene Santos )
09:30 · 15.04.2018
A pesquisa revela que mais de 44% dos brasileiros que possuem animais os veem como filhos ou bebês e para outros 29% eles são membros da família ( Foto: Natinho Rodrigues )

O ser humano sempre cultivou uma relação de proximidade com algumas espécies de animais, principalmente gatos e cachorros. Esses laços se estreitaram de tal forma que, para algumas pessoas, os animais de estimação são considerados membros da família e até mesmo filhos. O gasto médio mensal de um dono de gato é de R$ 291 enquanto que os proprietários de cachorros desembolsam R$ 389, de acordo com um levantamento da CVA Solutions, que pesquisa este mercado.

Sandro Cimatti, diretor geral da CVA Solutions, afirma que essa média de gasto vem aumentando à medida que os bichos mudaram seu papel dentro de casa. “Os animais antigamente viviam a maioria no quintal, comiam restos de alimentos e, no caso dos cachorros, serviam de cães de guarda. Hoje, os pets vivem em sua maioria dentro de casa”, explica Sandro. A pesquisa revela que mais de 44% dos brasileiros que possuem animais os veem como filhos ou bebês e para outros 29% eles são membros da família.

Investimento

Cimatti acrescenta que enquanto os animais representam mais para seus donos, o investimento neles aumenta. “As pessoas levam mais ao veterinário, se preocupam em dar medicamentos preventivos, como antipulgas e vermífugos, compram mais brinquedos e acessórios, cuidam mais de um modo geral”, pontua. Alguns pets possuem até plano de saúde, embora a parcela de animais com acesso ainda seja baixa - 8,7% este ano, com uma média de gasto entre R$ 90 e R$ 95.

Faturamento do setor

Os maiores cuidados com os animais, de acordo com Sandro Cimatti elevam o faturamento do setor de pets, de modo que foram movimentados quase R$ 19 bilhões em 2016 e a previsão é que esse número chegue a R$ 20 bilhões em 2020, um crescimento superior a 5% ao ano. O diretor geral da CVA Solutions aponta o processo de humanização como o principal motivo para essa tendência de crescimento. “É o hábito de tratar os animais como pessoas. As vezes os donos compram coisas que nem são da necessidade dos bichos, mas eles acham que são”, esclarece.

Regivania Almeida, dona de casa, cuida de seis cachorros, sendo cinco deles adotados, e tem um gasto mensal de R$ 400 em média, caso nenhum esteja doente. Ela detalha que a maior parte da despesa fica por conta da alimentação, representando 75% do total do valor. “Eles são meus filhos e o meu amor por eles é imenso da mesma forma que o amor e o carinho deles por mim é muito grande”, destaca. Ela observa, no entanto, que seus cães, de médio e grande porte, ficam dentro de casa e não possuem brinquedos por se divertirem uns com os outros e com os donos.

Ticket médio

Na Pet’s Toy Veterinária e Pet Shop as vendas estão crescendo continuamente e o ticket médio do consumidor da loja chegou a R$ 160 no mês de março. “O faturamento total em 2017 girou em torno de R$ 360 mil e R$ 400 mil. Nós temos uma loja pequena, então em estabelecimentos maiores esse valor é bem maior também”, afirma Margarida Timbó, proprietária do estabelecimento. Ela destaca que os pets estão vivendo mais também por conta dos maiores cuidados.

Natália Coelho tem três gatos que são componentes da família e possui um gasto médio mais baixo - R$ 80 mensais. “O gato, diferente do cachorro, gasta muito pouco. Minha despesa é de R$ 80 mensais para manter os meus três”, afirma. Ela ressalta que esse valor engloba despesas com ração, itens de higiene, como caixa de areia e shampoo, tratamentos de saúde, entre eles vitaminas e vermífugos, e acessórios. “Brinquedos eles até, mas não ligam muito. Preferem brincar com a gente e entre eles, subindo e descendo as escadas, por exemplo”, acrescenta. “Nós os queremos muito bem. É uma alegria toda vez que a gente chega em casa e eles vem correndo chamar nossa atenção”.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.