Novos berço e ponte têm 90% das obras concluídas

01:00 · 08.09.2018 / atualizado às 13:41 · 10.09.2018

Operando atualmente com nove berços, o Porto do Pecém se prepara para inaugurar nos próximos meses o berço de número 9 e uma nova ponte de ligação entre a costa e os píeres, que se encontra atualmente com mais de 90% das obras avançadas.

"O porto foi inaugurado em 2002 e na época a gente tinha quatro berços de atracação e dois píeres. Em 2011, houve a primeira expansão com o início do TMUT com mais dois berços. Mais recentemente, em 2016, foram entregues mais dois berços. E nos próximos meses, entregaremos o berço nove", explicou o coordenador de operações portuárias, José Alcântara.

Tamanho dobrado

"O Porto do Pecém, se compararmos a estrutura que possuímos hoje com o que era inicialmente, mais que dobrou de tamanho. Atualmente está sendo finalizada a obra de sua segunda expansão, que inclui três novos berços, onde dois já estão prontos (berços 7 e 8), o 9 está em fase de conclusão, junto com a nova ponte de acesso, que apresenta (93,26%) de avanço. O investimento total da segunda ampliação foi na ordem de R$ 1 bilhão em obras e equipamentos, com recursos do Tesouro Estadual e do BNDES", informou em comunicado a Companhia de Desenvolvimento do Complexo Industrial e Portuário do Pecém S.A (Cipp S.A.), administradora do porto cearense.

Leia também:

> Porto do Pecém ancora operação em competitividade e agilidade

> Guindastes são os únicos do NE e os maiores do País

A nova ponte de acesso aos píeres, é uma das obras mais esperadas no terminal. "Atualmente, a única ponte de acesso tem problemas de gargalo. Com essa segunda ponte, haverá crescimento do movimento de cargas", completou Alcântara.

Características

Com estrutura offshore (em que o porto é fora da costa litorânea), o Porto do Pecém possui uma profundidade natural, dentro da área em que foi construído, de até 18 metros.

"Ele (o Porto do Pecém) é eficiente também por isso. Essa eficiência está diretamente ligada ao calado, que é a distância da linha de água e a quilha do navio (parte inferior da embarcação). Se você não atraca navios grandes, você tem problemas de custo. Então, o Pecém foi feito com esse conceito. Nós estamos distantes 3 mil metros da costa e com isso ficamos isentos de dragagem", explicou o coordenador de operações.

O terminal cearense consegue operar simultaneamente nove navios. Apenas no TMUT, a capacidade é de atracação de cinco navios ao mesmo tempo. De acordo com Alcântara, em média, atracam no porto 47 navios por mês. (HRN)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.