projeta joão fiúza

Mercado deve voltar a se aquecer no 2º semestre

Crescimento será impulsionado pela queda dos juros e maior oferta de crédito, diz presidente da Diagonal

01:00 · 03.05.2018
foto
O Feirão Caixa da Casa Própria está previsto para acontecer entre os dias 25 e 27 de maio no Iguatemi e é visto pelo mercado como uma boa oportunidade com a queda da taxas de juros ( FOTO: NATINHO RODRIGUES )

Embora ainda não vislumbre em Fortaleza um cenário propício para lançamentos em 2018, o presidente do Grupo Diagonal, João Fiúza, garante que o segundo semestre de 2018 promete reaquecer o mercado imobiliário da Cidade.

Mesmo que levemente, tendo em vista o número de distratos - desistências de compra de um imóvel -, vilão que prejudica hoje 38% do total de contratos firmados em Fortaleza, segundo contabiliza o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE).

"Não tem ninguém lançando nada, mas as empresas tradicionais têm trabalhado muito em cima dos estoques e as vendas já estão melhores, assim como vem reduzindo o nível de distratos. Acredito em uma leve retomada a partir do segundo semestre", diz, sem estimar o incremento em números, mas lembrando que historicamente os últimos seis meses do ano são mais animadores para o setor.

Um ponto favorável às vendas no período é a queda consecutiva da taxa básica de juros, a Selic, hoje em 6,5% ao ano. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), inclusive, acenou que uma nova queda pode ocorrer na reunião de maio.

Soma-se à baixa na Selic o recente anúncio da Caixa Econômica Federal (CEF), que reduziu em até 1,25 ponto percentual (p.P.) as taxas de juros do crédito imobiliário utilizando recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas mínimas passaram de 10,25% ao ano (a.A) para 9% a.A, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% a.A para 10% a.A, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Houve ainda melhoria das condições no financiamento de imóveis para pessoa física. O limite de cota de financiamento do imóvel usado subiu de 50% para 70%. O financiamento de operações de interveniente quitante (imóveis com produção financiada por outros bancos) com cota de até 70% também foi retomado pelo banco. O Feirão Caixa da Casa Própria, prevista para acontecer entre os dias 25 e 27 de maio no Iguatemi, é mais um catalisador de vendas de estoques. "O mercado está bom para quem está comprando. E, com a queda da taxa de juros, a tendência é que as pessoas comprem imóveis. Aos poucos, vamos retomar os lançamentos".

Inclusive, na própria Diagonal, onde há um projeto de lançamento, mas ainda em fase de prospecção e estudos, afirma, sem entrar em detalhes. "Embora nosso estoque seja muito alto, é sempre bom ter novos produtos, com novidades de projeto ou localização especial, por exemplo, para puxar e tentar irrigar o mercado".

Concretizar vendas

Visando reduzir a quantidade de distratos, empresários do setor estão lançando mão de campanhas de marketing para reposicionar e concretizar vendas das unidades devolvidas. "Hoje, essa é a nossa grande tarefa. O distrato traz uma grande dificuldade aos lançamentos porque as incorporadoras trabalham com um desconto médio de 20% no estoque. Então, a gente não consegue lançar um produto em um bairro semelhante praticando o mesmo preço".

O presidente da Diagonal acrescenta que a maioria das obras tocadas hoje na Cidade estão em fase de conclusão ou foram lançadas entre os anos de 2014 e 2016.

"É difícil concorrer com o mercado atual, mas nós, incorporadores mais ativos, acreditamos que o setor da construção civil é a mola propulsora da economia", conclui ele, mesmo admitindo que a falta de lançamentos impacta no menor nível de contratação e, por consequência, na geração de renda.

Diagonal

Com 36 anos no mercado imobiliário, a Diagonal Engenharia conta com mais de 1.500.00 metros quadrados (m²) de áreas construídas e mais de 8 mil unidades entregues.

Com foco em projetos de alta complexidade, incluindo edificações corporativas, hoteleiras, hospitalares e fabris, indústrias, galpões logísticos, shoppings centers e comércio, ocupa a posição de uma das maiores construtoras e incorporadoras do Nordeste. Shopping Metrô e Pátio Messejana estão entre as obras entregues em Fortaleza.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.