Locadoras faturam mais na campanha

01:00 · 01.09.2018

Com as carreatas, eventos eleitorais e a necessidade de locomoção entre várias cidades, a locação de veículos se torna um serviço um pouco mais demandado a medida que as eleições se aproximam. De acordo com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), o período costuma alavancar os aluguéis de veículos em 5% a 10% no País. Entretanto, o impacto não é visto como considerável pelo presidente da entidade, Paulo Miguel Júnior, levando em consideração que a demanda costumava saltar 50% no período há alguns anos atrás.

Isso porque, de acordo com Paulo Miguel Júnior, a Lei nº 11.300, de 2006 - que trata da propaganda, financiamento e prestação de contas das despesas com campanhas eleitorais - tornou bem mais rigorosa a divulgação e promoção dos candidatos políticos no País em todas as esferas.

Leia também:
 
> Ciclo de oportunidades para emprego e serviços surge com eleição 
 
> Gráficas têm incremento de até 30% no período 
> Ganhos 60% maiores com a produção de jingles
 
"Antes da legislação, tinham muitos carros de som veiculando as propagandas de candidatos. Hoje, o período eleitoral tem impacto, mas é, realmente, um pequeno acréscimo", diz Paulo Miguel Júnior.

Fora do cenário eleitoral, ele destaca que a Capital cearense é uma das que tem grande força no setor, principalmente em decorrência da vocação turística da localidade. "O turismo de lazer movimenta bem o mercado e Fortaleza e as principais capitais do Nordeste tem uma vocação nesse sentido. A Capital cearense é uma das principais cidades do Nordeste", avalia o presidente da Abla.

Números do setor

De acordo com dados da Abla, até 31 de dezembro de 2017, o Ceará contava com a atuação de 598 locadoras de veículos, gerando 4.121 empregos. Ao todo, essas empresas dispõem de 10.113 veículos, sendo que, apenas no ano passado, a frota no Estado foi reforçada com a compra de 2.914 unidades novas por parte das locadoras.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.