Locadoras de vídeo apostam em promoções - Negócios - Diário do Nordeste

CARNAVAL EM CASA

Locadoras de vídeo apostam em promoções

02.02.2008

Para quem não se programou para sair na folia, uma opção é alugar filmes nas locadoras, com prazos bem elásticos

Alguns por falta de convite para viagem; outros, por falta de dinheiro mesmo para pegar a estrada. Há ainda, claro, aqueles por opção de fugir da folia. A realidade é que muita gente acaba passando o feriadão de Carnaval sentado à frente da tela da televisão. E, com isso, quem comemora são os donos de locadoras de vídeo, que aproveitam o gancho e realizam várias promoções para garantir a clientela.

A principal aposta dos empresários é no alargamento do prazo para entrega dos filmes. É assim que acontece na Blockbuster, que possui quatro lojas em Fortaleza. Quem alugar quatro filmes a partir de hoje, só entrega na quinta-feira (07/02). Para quem deixar para alugar amanhã, pode pegar três filmes e devolvê-los também só na quinta. Na rede, todos os filmes de catálogo saem por apenas R$ 3,50.

Na Aza Vídeo, que conta com 17 lojas na capital e 1 em Sobral, a promoção segue a mesma linha. Quem alugar seis filmes hoje, cinco amanhã, ou quatro na segunda, só devolve na Quarta-feira de Cinzas, pagando apenas uma diária em cada. O preço do aluguel varia de R$ 2,50 a R$ 3,50, e as lojas irão funcionar todos os dias de 9h às 22h. Segundo o proprietário da rede, Franzé Sampaio, a expectativa é de um incremento na movimentação de 35% a 40% em relação aos períodos normais.

Na King Vídeo, com três lojas na cidade, acontece da seguinte maneira: sete filmes hoje, entrega só na quarta; oito filmes, na quinta; nove, na sexta, e assim sucessivamente, durante esse período de feriadão. O valor dos aluguéis variam entre R$ 1,00 e R$ 3,00, e, segundo o atendente, ainda é possível negociar. As lojas funcionam todos os dias do Carnaval, com exceção da terça-feira. O incremento médio esperado nesse período é de 50% sobre os períodos de fluxo normal.

Em casa

Para a operadora de telemarketing Nara Mayne, o Carnaval vai ser longe da folia das praias, junto do marido, das pipocas e dos sete filmes que alugou para passar o período. E a economia foi grande: aproveitando a promoção da locadora vizinha à sua casa, levou os filmes por R$ 12,00, e ainda aumentou o acervo com filmes emprestados. ´A tranqüilidade da casa é mais viável, financeira e mesmo fisicamente. E para quem trabalha, qualquer folga em casa é uma bênção´.

FOLIA DE PREÇOS

Produtos e serviços acima da inflação

São Paulo. Nos últimos quatro anos, os preços de produtos e serviços associados aos festejos de carnaval subiram mais que a inflação registrada no IPC-BR da Fundação Getúlio Vargas, de 18,77%. De fevereiro de 2005 a janeiro de 2008, o ´IPC-Carnaval´ atingiu 25,05%.

Curiosamente, os ingressos de shows, bailes e espetáculos musicais (40,44%) foram os que mais subiram. Os cigarros aparecem em segundo lugar, com um reajuste de 37,13%. No grupo das campeãs da inflação ainda aparece o álcool combustível, com 36,64%.

Abaixo

A pesquisa da FGV, conduzida pelo economista André Braz, aponta também aqueles itens que ficaram abaixo da inflação. Neste quesito, a sandália feminina (3%) foi a que menos subiu. Os instrumentos musicais aparecem com 4,57%. As bermudas femininas subiram 8,32%.

Produto dos mais consumidos nos dias de folia, a cerveja – consumo residencial — teve reajuste de 9,1%.

Mas, o Carnaval brasileiro tem ainda produtos deflacionados. Entre eles, a pesquisa apontou a bebida alcoólica importada (-7,64) e as passagens aéreas (-0,69%).




Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999