Ligação DDD pode sair até 14 vezes mais cara - Negócios - Diário do Nordeste

DEPENDENDO DA OPERADORA

Ligação DDD pode sair até 14 vezes mais cara

05.05.2010

Consumidor tem que pesquisar tarifas das operadoras para DDD e optar por plano de acordo com perfil de uso

Fazer uma ligação interurbana, conhecida como Discagem Direta a Distância (DDD), requer pesquisa. Ao escolher uma operadora de telefonia, o consumidor pode economizar até R$ 25,58. A Proteste Associação de Consumidores pesquisou as principais operadoras de longa distância e concluiu que o consumidor pode ter prejuízos se não pesquisar bem antes de escolher a operadora.

As ofertas do mercado para este serviço são de vários tipos de planos. A recomendação da Proteste é que ao pesquisar, o consumidor leve em conta o seu perfil de uso do telefone.

Segundo a analista de mercado da Proteste, Ana Gabriela Barroso, a principal recomendação da associação é pesquisar e, se for possível, utilizar os horários de custo reduzido (de 6 horas às 7h e de 21h à meia noite) ou super reduzido (de meia-noite às 6 horas).

Para fixo

Uma ligação DDD do Ceará para São Paulo, por exemplo, de 10 minutos, de fixo para fixo sai por R$ 1,36 pelo plano Sempre 21 Regional da Embratel. Em igual situação, a conta será de R$ 13,70 pelo plano Hora de Ligar 23 da Intelig. A diferença representa uma economia de R$ 12,34 para quem optar pela primeira opção.

Nestas condições, o consumidor pode fazer a chamada dez vezes pela Embratel com o mesmo recurso que pagaria para efetuar uma ligação pela Intelig e ainda ficaria com R$ 0,10 de economia no bolso.

Metodologia

Segundo a Proteste, para realizar o estudo foram analisados 360 planos DDD, de oito operadoras em todos os estados do País para verificar quais as tarifas mais vantajosas para consumidor. Foram levantadas as tarifas para ligações de fixo para fixo e também de fixo para celular. Foram consideradas as cidades de origem e de destino, a distância entre elas, além do horário da ligação. Os valores foram coletados na primeira quinzena de março.

Para móvel

Outras simulações mostraram outras possibilidades de economia. Dessa vez, considerando que a ligação seja de fixo para móvel. De Fortaleza para São Paulo, durante dez minutos, a chamada sai por R$ 2,54 em horário normal (de 7 horas às 21h de segunda a sexta-feira) ou por R$ 1,78 em horário reduzido, ambos pelo plano Básico 21 da Embratel. Em igual situação, esta ligação pode sair por R$ 28,11 (horário normal) ou R$ 26,09 (horário reduzido), ambas pelo plano Básico 23 da Intelig. As economias seriam de R$ 25,58 e R$ 24,32, respectivamente. Na primeira comparação, a diferença entre as tarifas entre operadoras é de 11 vezes. Na segunda, 14 vezes.

Entre todas as simulações feitas pela Proteste, o estudo mostrou que o consumidor pode encontrar uma diferença nos preços das tarifas em até 76 vezes.

A Proteste mostrou também que uma ligação de dez minutos de São Paulo para cidades cuja distância não ultrapasse 50 quilômetros, em horário super-reduzido, pode sair por 18 centavos pelo plano básico da Telefônica, ou R$ 13,32 se for feita pelo plano Hora de Ligar 23 Dias úteis da Intelig. As operadoras utilizam até cinco casas decimais na tarifa, e o cálculo de 76 vezes foi usado seguindo este critério. No Rio de Janeiro, a economia pode chegar a 94% se a opção for pelo plano Sempre 21 Regional da Embratel para quem liga para outros estados cuja distância entre cidades seja superior a 300km (D4). Para um total de 150 minutos de ligações (5 min por dia em 1 mês), o valor gasto chega a R$ 11,90. Se o consumidor optar pelo Hora de Ligar 23 - Sábado e Domingo da Intelig, terá um gasto mensal de R$ 215 para esse igual volume de chamadas.

Simulação

Os valores de economia e gasto com o plano mais barato podem ser calculados pelo site www.proteste.org.br. Em geral, para ligações de telefone fixo para fixo, seja qual for a distância, as operadoras que se destacaram com as menores tarifas foram a Embratel (21) e a Oi (14 e 31) mas com diferentes planos dependendo do estado de origem e do horário da ligação. A Sercomtel e a CTBC oferecem tarifas ainda melhores mas somente nas regiões em que atuam (a primeira no Paraná e a segunda no Triângulo Mineiro e Franca).

Perfil

Segundo a Proteste, há opções de planos alternativos que podem ser vantajosos dependendo do perfil. Para manter um plano básico não é preciso aderir ou fazer contrato. Para utilizar, é só escolher o código da operadora e discar. Já os planos alternativos são opções que as operadoras disponibilizam para atrair determinados clientes. Neste tipo, as operadoras podem escolher faixas de horários e distâncias diferentes das determinadas pela Anatel (a tradicional modulação de horários).

Se o consumidor optar por um plano alternativo de alguma operadora, toda ligação que fizer com o código dessa empresa será tarifada pelo novo sistema - isto é, o plano básico não conta mais. Isso pode dar prejuízo se usar essa operadora em situações que não são contempladas pelo tal plano.

Além disso, de acordo com a Proteste, os planos alternativos costumam possuir restrições, seja por limite de números telefônicos a cadastrar, seja por números de DDD a escolher.

Há algumas operadoras que comercializam, ainda, planos com pacote de minutos de longa distância. Porém, a Proteste esclareceu que esse tipo de pacote não entrou no estudo, pois há várias tarifas mais atraentes no mercado e os minutos não utilizados não são acumulados para o período seguinte.

Resposta

Sobre a pesquisa da Proteste, a Intelig esclareceu que, desde fevereiro, opera com tarifa de R$ 0,10 o minuto para DDD e DDI, de fixo para fixo, para qualquer estado do Brasil e para mais 23 países, independentemente do dia, hora e distância.


CAROL DE CASTRO
REPÓRTER




Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999