JBS teria comprado grande volume

00:00 · 19.05.2017 / atualizado às 00:08

Rio. Horas antes da divulgação da denúncia de seus executivos contra o presidente Michel Temer, o Grupo JBS teria comprado grande volume de dólares no mercado de câmbio, segundo operadores financeiros. Assim, a companhia estaria se beneficiando do salto de mais de 8% da divisa americana na sessão dessa quinta-feira, provocado justamente pelas alegações de Joesley Batista, da JBS, contra Temer. Se confirmado, o movimento configuraria uso indevido de informações privilegiadas (insider trading), prática vedada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

LEIA MAIS

.Incertezas regem os rumos da economia

.Temer teria adiantado corte de juros à JBS; Banco nega

.Setor produtivo mostra apreensão com o futuro

.'Reformas da Previdência e da CLT não têm como avançar'

.Dólar dispara mais de 8%; maior alta em 18 anos

.Combustível: preço pode ter aumento

.Unidade do Grupo no Ceará segue operando

"Pelo que parece, na sessão de ontem (quarta-feira), eles acessaram o mercado de câmbio e em meia hora compraram uma enorme quantidade de dólares", disse um operador de câmbio, que preferiu não ser identificado. "Trata-se de algo que a CVM precisa averiguar". Na quarta-feira, na sessão em que o grupo JBS teria entrado como força compradora, o real teve a maior depreciação entre as 31 divisas mais relevantes do mundo, com o dólar comercial saltando 1,2%, a R$ 3,13.

Nessa quinta-feira, o dólar comercial foi negociado a R$ 3,390. Como o mercado financeiro prevê sigilo dos investidores por trás de cada operação, não é possível identificar explicitamente a JBS como solicitante das operações.

Agressividade

O Procurada pela reportagem, a CVM não se pronunciou especificamente sobre a denúncia contra a JBS, reforçando que seu posicionamento oficial estava em nota divulgada na tarde dessa quinta-feira em seu site. No texto, a autarquia afirmou que "está acompanhando as recentes notícias veiculadas pela imprensa e monitorando o funcionamento ordenado dos mercados de valores mobiliários".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.