inovação

Impressora 3D pode gerar economia de 40% em construção

Empresa chinesa apresentou modelo automatizado durante palestra no Inova Construir Experience

01:00 · 09.11.2017
Image-0-Artigo-2321805-1
Impressoras 3D da empresa WinSun utilizam material natural ou reaproveitado de entulhos, demolições ou refugo de mineração na construção de edificações

Construir casas com uma economia de até 40% nos custos de produção a partir do uso de impressoras 3D. Essa foi a promessa feita por Ma Yihe, presidente e diretor executivo da WinSun, empresa chinesa de construção civil, durante palestra no Inova Construir Experience 2017.

De acordo com o representante da companhia asiática, a redução de gastos gerada pela aplicação da tecnologia 3D se dá por um acúmulo de fatores, como diminuição de necessidade de mão de obra e utilização de materiais mais baratos na constituição das edificações.

"Eu não conheço tão bem o mercado brasileiro, mas a partir do que pude ver desde que cheguei é que vocês possuem alguns tipos de materiais até três vezes mais baratos do que os nossos, o que deixar o processo inteiro ainda mais barato. Empresas brasileiras poderiam economizar de 20% a 40%, dependendo do modelo", disse.

O modelo de produção com impressoras 3D utiliza vários moldes para criar as peças que, quando juntas, dão formas às casas ou prédios idealizados em computador. Após a definição dos modelos, as máquinas podem produzir até 20 metros por minuto, sendo necessário apenas um operador para cada dezena de impressoras. Dependendo do tamanho do investimento, isso poderia representar uma economia de 80% com gastos em mão-de-obra.

Segundo Ma Yihe, o método é extremamente adaptável, podendo ser executado sem muitas dificuldades no Ceará. Outro fator positivo desta técnica, que levou 16 anos para ser desenvolvida, é que ela pode ser aplicada em todas as etapas da construção: das bases ao acabamento.

"Depois que montamos o projeto, podemos executar todo o processo com as impressoras, desde a fundação, além do subsolo, à criação dos ambientes para a colocação dos móveis e linhas elétricas. Ainda temos a facilidade de tudo isso ser gerado por computador", afirmou.

Impacto ecológico

Além da facilidade na elaboração do projeto, os materiais utilizados, segundo Yihe, são extremamente baratos, já utilizam um mistura de concreto, areia, brita, fibras e metais. As máquinas ainda podem reaproveitar refugos de mineração, entulhos processados, e material de demolição, o que reduz ainda mais os custos de produção.

"No futuro tenho a convicção de que não usaremos mais cimento para construir casas da maneira convencional e o nosso modelo nos proporciona trabalhar com materiais que não geram nenhum tipo de lixo, pois tudo é cuidadosamente planejado e executado com o auxílio de computadores", disse Yihe.

Investimento

Durante a palestra do Inova Construir Experience, o presidente da WinSun afirmou ter muito interesse em conseguir parcerias para começar a trabalhar em território nacional.

Yihe se disse preparado para negociar com qualquer empresa que desejar utilizar a tecnologia 3D poderá fechar um negócio de aluguel das máquinas ou comprar os equipamentos, que, dependendo do tamanho do projeto, podem custar de 10 mil a 1 milhão de dólares.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.