NESTE DOMINGO

Hub completa um mês com 9,2 mil passageiros transportados

Até o fim deste ano, pelo menos 21 novos voos internacionais serão incorporados ao hub na Capital

Neste sábado (2), decolará o décimo voo do hub a Amsterdã, com a KLM ( FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES )
01:00 · 02.06.2018 por Yohanna Pinheiro - Repórter
A estimativa é que sejam transportados cerca de 45 mil passageiros da KLM e 35 mil da Joon ao longo deste ano ( FOTO: JOSÉ LEOMAR )

As operações do hub do grupo Air France/KLM e Gol completam um mês neste domingo (3), quando deverão ter sido transportados mais de 9,2 mil passageiros a bordo dos voos de ida e volta de Amsterdã (Holanda) e Paris (França) à Fortaleza. A estimativa leva em conta a média de ocupação de 85% dos voos internacionais, conforme informou o vice-presidente global de Alianças do grupo, Patrick Alexandre, durante coletiva de inauguração do equipamento.

Neste sábado (2), decolará o décimo voo do hub a Amsterdã, com a KLM, e, no domingo, o décimo da Joon a Paris, totalizando 20 voos à Europa em um mês. Segundo o grupo, as expectativas estão acima do esperado desde o início das vendas, em outubro, e "a tendência segue, com voos cheios e as operações sendo aprimoradas internamente para refletir em uma experiência cada vez melhor ao passageiro", informou a Air France/KLM.

> Joon atinge marca de um milhão de clientes

De fato, nas duas primeiras semanas de operação alguns dos voos internacionais tiveram um atraso considerável, de uma hora ou mais para a decolagem e para o pouso no destino final das duas companhias. Porém, nas últimas duas semanas, mesmo com a crise de desabastecimento dos aeroportos no País, não foram registrados atrasos superiores a 35 minutos no pouso dos voos em Amsterdã ou em Paris a partir da Capital.

De acordo com os executivos do grupo Air France-KLM, estima-se o transporte de 45 mil passageiros da KLM e 35 mil da Joon ao longo deste ano. A partir de 2019, as companhias esperam um movimento de 140 mil pessoas, metade delas de europeus. Já a Gol Linhas Aéreas, a respeito de um balanço preliminar, informou que ainda está analisando os primeiros dias de operações e que, em breve, divulgará os resultados.

Ampliação

Até o fim do ano, pelo menos 21 novos voos internacionais serão incorporados ao hub da companhia em Fortaleza. O primeiro deles, a terceira frequência da KLM para Amsterdã, começa no dia 1º de julho. Em seguida, a Gol ampliará as conexões para a Argentina - a companhia já iniciou as vendas para Córdoba a partir de 8 de julho, com um voo semanal, e deverá incrementar a malha com mais três voos para Buenos Aires e um para Rosário.

Já mais próximo à alta estação do fim do ano, a terceira frequência à Paris de Fortaleza com a Joon terá início no dia 31 de outubro e, no dia 4 novembro, seis meses após a inauguração do hub, estrearão as operações diárias da Gol a partir da Capital para Orlando e para Miami, ambos nos Estados Unidos, totalizando 14 voos semanais. Os voos para os Estados Unidos serão operados nas novas aeronaves B737 MAX 8, que a companhia ainda receberá.

Domésticos

Paralelamente aos da Air France/KLM, dezenas de voos domésticos da Gol concentram passageiros de todo o País para os voos internacionais e, no retorno, os distribuem de volta às suas cidades de origem, principalmente Manaus, Belém, Natal, Recife e Salvador. De acordo com o CEO da companhia, Paulo Kakinoff, em entrevista ao Diário do Nordeste na inauguração do equipamento, Fortaleza terá, em breve, 50 voos diários da companhia.

Por enquanto, a companhia opera em média são 44 voos no Aeroporto de Fortaleza. "Seis aeronaves estão dedicadas para atender o hub e em 18 meses serão 10 aviões. Com os 50 voos diários, serão ofertados 60 mil assentos regularmente", informou o executivo.

Com o número de aeronaves dedicadas às operações na Capital, Kakinoff disse também que a companhia realiza investimentos de aproximadamente US$ 2 milhões em Fortaleza.

Impacto da greve

Na avaliação do secretário de Turismo de Fortaleza, Régis Medeiros, os voos têm tido uma boa frequência, mas o reflexo sobre o turismo na Capital acabou sendo ofuscado pelo efeito da greve dos caminhoneiros. "Ainda estamos assombrados com essa questão dos caminhoneiros. Esse nosso feriado de Corpus Christi está muito fraco em relação a outros anos, e não podia ser diferente porque todos ficaram assustados com a situação", pondera.

Medeiros diz que o equipamento abre uma nova era para o turismo na Capital, mas que ainda é preciso paciência para avaliar os números da movimentação no Aeroporto e de turistas na cidade. "Não deu para sentir ainda. Os números não foram fechados. Não tenho dúvidas de que o hub será um divisor de águas. Mas não é do dia para a noite".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.