Ganhos 60% maiores com a produção de jingles

01:00 · 01.09.2018

Com o início das campanhas políticas, os estúdios de música na Capital já estão sentindo considerável aumento de faturamento, graças à produção de jingles, trilhas sonoras, e outros tipos de trabalho. De acordo com empresas consultadas pela reportagem, o incremento chega a ser de até 60% em comparação com os meses fora do calendário eleitoral brasileiro.

O proprietário e produtor musical do estúdio Proaudio, Marcílio Mendonça, ainda afirmou que alguns anos atrás esse aumento no faturamento era ainda maior, pois o número de empresas realizando esse tipo de trabalho era bem menor. Atualmente, segundo ele, com o avanço das tecnologias possibilitando a montagens de estúdios até mesmo em pequenos quartos, a verba das campanhas acabaram diminuindo um pouco, considerando a concorrência.

Leia também:
 
> Ciclo de oportunidades para emprego e serviços surge com eleição 
 
> Gráficas têm incremento de até 30% no período 
> Locadoras faturam mais na campanha
 
Na eleição de 2018, Mendonça calcula que deverá ter uma faturamento 30% maior do que o que observa no resto do ano. "Devemos ter um aumento de até 30% esse ano", disse. O produtor do Proaudio comentou também que até a dinâmica do quadro de funcionários contratados nesse período mudou. "Já tive muitos técnicos, mas hoje a demanda é menor. Nós não temos um quadro fixo de técnicos para esse período, então sempre procuramos freelancers, mas sempre contratamos músicos, montando praticamente uma banda e chamando a medida que vão chegando os pedidos", ponderou Mendonça.

Mercado

Já Amaro Penna, sócio do estúdio Ararena, estima que, durante o pleito de 2018, o faturamento deve ser elevado entre 50% a 60% em relação os outros meses do ano. Contudo, ele reconhece que essa alta deverá ser menor do que na eleição para prefeitos e vereadores, pois o número de candidaturas era maior.

"Essa questão de jingle sempre é forte e muito eficaz nas campanhas, até porque é uma forma melhor de se chegar nas pessoas. Apesar da legislação ser restrita, eles são muito eficientes, e as pessoas ainda buscam jingles", disse Pena.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.