Nova Linha de financiamento

FNE Sol: pessoa física pode custear até 100% de projeto

Lançamento oficial deve ocorrer no próximo mês. O teto do projeto é de R$ 100 mil, com até oito anos para pagar

01:00 · 29.08.2018
Image-0-Artigo-2446259-1
Os juros cobrados pelo Banco do Nordeste para os projetos levados por pessoas físicas giram em torno de 6% anualmente, a depender da formulação da taxa do FNE, composta por uma taxa pós-fixada entre 1,295% a 3,59%, e pelo IPCA

Criado inicialmente para atender empresas interessadas em gerar a própria energia, o FNE Sol - linha de crédito do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste para projetos de energia solar - vai custear até 100% dos projetos propostos por pessoas físicas. "Os clientes poderão financiar com o BNB até 100% do investimento, com limite de até R$ 100 mil e prazo de pagamento de até oito anos (incluída carência de seis anos)", informou o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) no Intersolar South America, que teve início ontem (28) e continua hoje (29)e, em São Paulo.

O lançamento oficial da nova linha de crédito está programado para o próximo mês e, segundo o BNB, até lá, as condições de avaliação dos projetos levados ao Banco serão definidas.

A taxa de juros do o FNE Sol para pessoa física giram em torno de 6% anualmente, dependendo da nova fórmula medida para o financiamento - a taxa pós-fixada (de 1,295% a 3,59%) ao ano somado ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O Banco acrescenta ainda que, "no caso de valores até R$ 50 mil, a garantia necessária será aval somado a alienação dos equipamentos; acima deste valor, será garantia real mais alienação dos equipamentos".

Análise

Já a respeito do processo de análise do projeto de pessoas físicas, o BNB informou que o procedimento deve ser semelhante ao já efetuado pelos projetos submetidos à linha de financiamento pela iniciativa privada, sejam comércios ou indústrias.

"Conforme o fluxo dos financiamentos do FNE Sol, é necessária a apresentação do projeto de instalação elaborado pela empresa executora dos serviços, bem como de documentos emitidos pela Concessionária de Energia Elétrica", detalha.

Balanço

Dados compilados pelo Banco do Nordeste informam ainda que os desembolsos dessa linha de crédito devem superar os R$ 3,5 bilhões contabilizados pela instituição em todo o ano de 2017, "com operações envolvendo geração de energia solar, eólica e biomassa".

De janeiro a junho deste ano, considerando todas as operações fechadas pelo BNB, o crédito disponibilizado já chega a R$ 3,5 bilhões, "sendo o Ceará um dos estados com maior volume de aplicações dentro dessa linha de crédito". Ao todo, o Estado representou R$ 700 milhões em operações do FNE Sol no primeiro semestre de 2018.

Santander amplia crédito

Também de olho na geração de energia solar, o Banco Santander Brasil anunciou ontem uma nova oferta de crédito para a compra de equipamentos, com novas linhas para clientes pessoa física e jurídica, além de produtores rurais. As novas taxas para financiamento dos chamados sistemas fotovoltaicos agora partem de 0,99% ao mês, abaixo do juro praticado atualmente, a partir de 1,69% ao mês.

O banco tem carteira de financiamentos à geração solar de cerca de R$ 100 milhões, e a previsão é realizar mais R$ 200 milhões nos próximos 12 meses. Ao final de 2021, a expectativa é ter realizado desembolsos de R$ 1,8 bilhão.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.