cotação

Dólar sobe 6,65% em maio; maior desde 2015

01:00 · 31.05.2018

São Paulo. O dólar encerrou com leve queda ontem (30), com a briga pela formação da Ptax (taxa calculada ao fim de cada mês pelo Banco Central) ofuscando o cenário externo mais positivo e a intervenção do Banco Central. O mercado também seguiu atento aos desdobramentos da paralisação dos caminhoneiros no País, que chega hoje ao 11º dia.

Ontem, o dólar caiu 0,05%, vendido a R$ 3,7356, após chegar a R$ 3,7684 na máxima do dia. Já o dólar turismo chegou a R$ 3,89, depois de bater R$ 3,93. No mês, marcado por forte turbulência e pelo aumento da intervenção do Banco Central no câmbio, o dólar subiu 6,65%. Foi a maior alta mensal desde setembro de 2015. Neste ano, o dólar acumula alta de 12,74%.

Bolsa

Apesar das leves altas nos dois últimos dias, a Bolsa emendou quatro baixas seguidas em dois momentos no mês e fechou maio com queda de quase 11%, a maior variação negativa desde setembro de 2014 (-11,7%).

A Petrobras teve uma sessão volátil nesta quarta, com a paralisação dos caminhoneiros se dispersando. Os papéis preferenciais da estatal recuaram 1,66%, para R$ 18,98. No mês, despencou 17,37%.

Leia ainda:

> Greve trouxe à tona debate sobre a reforma tributária 
>  Perdas com manifestação já atingem R$ 75 bilhões
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.