caos nos mercados

Dólar dispara mais de 8%; maior alta em 18 anos

Com o salto, casas de câmbio elevaram o valor de venda da moeda dos EUA para os viajantes

00:00 · 19.05.2017 / atualizado às 00:07
Image-0-Artigo-2243639-1
A forte valorização do dólar ante o real fez o Banco Central (BC) intervir no mercado de câmbio e vender US$ 4,4 bilhões ( Foto: Reuters )

Fortaleza/São Paulo. Um dia após a denúncia de que o presidente Michel Temer deu aval para comprar o silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, o mercado reagiu com investidores receosos diante da incerteza econômica ocasionada por mais um importante capítulo da crise política no País.

LEIA MAIS

.Incertezas regem os rumos da economia

.Temer teria adiantado corte de juros à JBS; Banco nega

.Setor produtivo mostra apreensão com o futuro

.'Reformas da Previdência e da CLT não têm como avançar'

.JBS teria comprado grande volume

.Combustível: preço pode ter aumento

.Unidade do Grupo no Ceará segue operando

Pouco tempo após a abertura do mercado, o dólar comercial chegou a bater 8% e encerrou a sessão em alta de 8,16% ante o real, a R$ 3,39 na venda. Foi a maior valorização desde 5 de março de 2003. O dólar à vista, que fecha mais cedo, subiu 8,68%, para R$ 3,373. Na quarta (17), o dólar comercial havia fechado em alta de 1,19%, para R$ 3,134. O dólar à vista havia subido 0,41%, para R$ 3,104.

O salto da moeda norte-americana ante o real também afetou a cotação do dólar turismo, que chegou a ser vendido a R$ 4 em casas de câmbio pelo País. Algumas companhias chegaram a interromper a venda das moedas estrangeiras devido a falta de parâmetro causada pelos últimos acontecimentos políticos.

Entre 15h30 e 16 horas, segundo pesquisa realizada pela reportagem por meio do site melhorcambio.Com e diretamente com outras casas de câmbio, o valor mínimo do dólar turismo para compra à vista oscilava entre R$ 3,55 e R$ 3,57 nesse intervalo de tempo. O dólar no cartão chegava a R$ 3,75. O euro chegava a R$ 4 à vista e R$ 4,15 no cartão pré-pago.

Após o discurso do presidente Michel Temer, realizado às 16 horas, no qual o chefe do executivo disse que não irá renunciar ao cargo, a menor cotação do dólar turismo nas casas de câmbio da Capital cearense era de R$ 3,62. O euro (menor cotação) foi para R$ 3,96 ontem.

Às 18 horas, uma hora depois do fechamento do mercado, o dólar turismo à vista custava R$ 3,62 na Otimize Câmbio e R$ 3,63 na La Moneta Câmbio. Nesta mesma casa, a moeda norte-americana no cartão pré-pago custava R$ 3,80. O euro estava a R$ 3,96 na Otimize; R$ 3,97 na Confidence e R$ 3,98 na La Moneta. O euro no cartão pré-pago custava R$ 4,16 na La Moneta e R$ 4,17 na Confidence.

BC vende US$ 4 bi

O Banco Central atuou fortemente para conter a alta do dólar na sessão de ontem. A autoridade monetária vendeu US$ 4,4 bilhões no mercado futuro, na tentativa de oferecer ao mercado proteção adicional para empresas e investidores, mas isso não foi suficiente.

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou ontem que, haverá ainda mais três leilões de swap, hoje, na segunda (22) e na terça-feira (23). A quantidade ofertada em cada leilão será de 40 mil contratos e as condições serão informadas antes de cada evento.

"Estamos fazendo nosso papel, que é o papel do BC, que é manter a funcionalidade do mercado, trabalhando de forma serena, de forma firme, usando os instrumentos que a gente tem", afirmou Goldfajn.

tab

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.