MERCADO FINANCEIRO

Dólar bate os R$ 3,505; maior valor desde 2016

01:00 · 01.05.2018
Image-0-Artigo-2394640-1
Na sessão de ontem, o dólar à vista, que fecha mais cedo, teve alta também. A moeda subiu 0,5% e encerrou o dia a R$ 3,485 ( Foto:MARCOS SANTOS/USP IMAGENS )

São Paulo. O dólar subiu 6% em abril e teve a maior alta mensal desde novembro de 2016 com o temor dos investidores de altas adicionais de juros nos Estados Unidos e também com as incertezas que rondam o cenário eleitoral brasileiro. A Bolsa também fechou o mês no azul, com valorização de 0,9%.

Ontem (30), o dólar comercial teve alta de 1,21%, a R$ 3,505, o maior valor desde 3 de junho de 2016, quando atingiu R$ 3,527. O dólar à vista, que fecha mais cedo, subiu 0,5%, para R$ 3,485. Já o Ibovespa, índice das ações mais negociadas, fechou a sessão em queda de 0,38%, para 86.115 pontos, com um volume negociado menor por causa do feriado de 1º de Maio, Dia do Trabalho.

O CDS (credit default swap, espécie de termômetro de risco-país) teve alta de 2,58%, para 173,9 pontos. No mercado de juros futuros, os contratos mais negociados do dia fecharam com sinais mistos.

O DI para julho deste ano recuou de 6,246% para 6,240%. Já o DI medido para janeiro do próximo ano teve alta de 6,215% para 6,230%.

Ações

O fluxo de entrada de estrangeiros contribuiu para a alta de 0,88% do Ibovespa no mês. Apesar disso, os fundos de ações indexados, alternativa para o investidor que quer aplicar em Bolsa, recuaram 0,55% em abril. Dos 64 papéis do Ibovespa, 43 caíram, 19 subiram e dois fecharam estáveis. O mês de abril marcou a retomada dos IPOs na Bolsa brasileira. Depois de NortreDame Intermédica, que subiu 22,7% na estreia, e Hapvida (22,8%), foi a vez do Banco Inter começar a negociar seus papéis em Bolsa. Na estreia, as ações fecharam estáveis em R$ 74.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.