De janeiro a junho

Demanda do consumidor por crédito cresce 11,1%

01:00 · 13.07.2018
Image-0-Artigo-2426037-1
Nordeste apresentou o melhor resultado na comparação ante o 1º semestre de 2017 ( Foto: NEYSLA ROCHA )

A quantidade de pessoas que buscou crédito no acumulado de janeiro a junho deste ano cresceu 11,1% em comparação com o mesmo período de 2017. A informação foi divulgada ontem (12) pelo Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito. De acordo com o Indicador, o resultado representa o melhor primeiro semestre dos últimos sete anos. Em relação a maio, o índice recuou 7%, assim como na comparação anual (com junho/17), que teve queda de 0,8%.

A região Nordeste apresentou o melhor resultado na comparação com o acumulado do primeiro semestre do ano passado, com avanço de 17,6%. Até maio, o indicador também mostrava que a Região apresentava elevação de 21,1%. Já até abril, a alta foi de 22,4%.

Impulso

De acordo com os economistas da Serasa Experian, juros menores neste ano, combinados com uma modesta expansão da confiança do consumidor e da renda real neste primeiro semestre, impulsionaram a demanda dos consumidores por crédito apesar dos impactos negativos, sentidos em junho, oriundos da paralisação dos caminhoneiros no mês de maio. No acumulado do primeiro semestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, a procura do consumidor por crédito apresentou variações positivas em todas as faixas de renda: alta de 34,2% para quem recebe até R$ 500 por mês; de 8,5% para quem ganha entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais; e 8,8% para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês. Já nas rendas mais altas, os avanços na procura por crédito no acumulado do primeiro semestre de 2018 foram: 8,6% para a faixa de renda entre R$ 2.000 e R$ 5.000 mensais; 8,6% para o consumidor com renda entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês e de 8,9% para quem ganha mais de R$ 10.000.

Análise por região

Na comparação contra o acumulado dos primeiros seis meses do ano passado, houve avanços da demanda por crédito em todas as regiões: no Nordeste (17,6%); Sudeste (9,7%); Norte (11,2%); Centro-Oeste (13,8%) e no Sul (7,4%).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.