FINANÇAS DO CONSUMIDOR

Custo para somar pontos deve ser considerado

Para especialistas, as vantagens devem ser uma consequência dos gastos usuais, não um objetivo a ser alcançado

01:00 · 05.08.2017
Image-0-Artigo-2278743-1
É preciso estar atento para não gastar mais que o necessário no cartão de crédito e acabar se endividando. Para ajudar o consumidor, a Proteste tem uma ferramenta para calcular as milhas no cartão de crédito ( FOTO: KID JUNIOR )

Embora a maioria dos programas de fidelização ofereça a adesão sem custos, os consumidores precisam estar atentos a despesas vinculadas como a anuidade do cartão de crédito e as taxas de transferência entre programas de vantagem, além do próprio comportamento de consumo. Especialistas em direito do consumidor dizem que as vantagens devem ser uma consequência dos gastos usuais, e não um objetivo a ser alcançado.

 
 
 

De acordo com Renata Pedro, representante da Associação de Consumidores Proteste, o consumidor deve entender o cartão de crédito - que é hoje uma das principais formas de acúmulo de pontos - como uma ferramenta que pode ser otimizada com a associação a um programa de recompensa, nunca o contrário. "É preciso tomar muito cuidado com os gastos do cartão. Não se deve gastar para acumular pontos", reforça.

O ideal sempre é não gastar mais que o necessário, para que o consumidor não se endivide ao ponto de não conseguir arcar com a conta do cartão de crédito. "Para acumular pontos, o consumidor também deve sempre pagar a fatura até o vencimento, evitando que os pontos deixem de ser creditados. Uma opção também é colocar todos os gastos no mesmo cartão de crédito", sugere Renata.

A representante aponta ainda que há uma gama de cartões de crédito que oferecem a recompensa, mas com anuidades e taxas de conversão distintas, cabendo ao consumidor encontrar a que mais se encaixa no seu perfil. "Há opções de cartões que juntam muitos pontos, porém são mais caros. Tudo tem que ser muito bem avaliado para que seja usado da melhor forma, de acordo com o nível de gastos do consumidor".

É preciso atenção para que o gasto realizado com a anuidade e taxa de conversão não seja um valor semelhante ao que seria despendido na compra direta da passagem ou produto. "Além disso, o cartão tem que ter uma parceria com o clube de fidelidade para transferir os pontos, além de haver barreiras como o limite de transferência. Há casos que só pode transferir a partir de 25 mil pontos", destaca Renata.

Calculadora de milhas

Para auxiliar nesse planejamento, a Proteste tem uma ferramenta para calcular as milhas no cartão de crédito (http://www.Proteste.Org.Br/calculadora-de-milhas). Com a ferramenta é possível calcular qual precisa ser o gasto mensal no cartão de crédito para acumular pontos que podem ser transferidos para aquisição de passagens, quanto tempo será preciso para acumular a quantidade necessária e por quanto tempo eles são válidos.

Atenção às regras

Já a advogada Claudia Almeida, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), destaca que o usuário precisa estar ciente de que o acúmulo de pontos ou milhas são artifícios promocionais para beneficiar as empresas. "O Idec aconselha que os consumidores procurem saber as regras específicas, lembrando que esses programas devem obedecer ao Código de Defesa do Consumidor (CDC), principalmente quando há alterações de suas regras".

Durante a leitura do contrato de adesão ao programa, Almeida recomenda atenção do consumidor quanto às condições de utilização dos benefícios. "Em um programa de milhas, por exemplo, checar se elas podem ser usadas para viagens em feriados ou finais de semana, e a validade delas", sugere a advogada, no intuito de evitar frustrações dos consumidores na hora de resgatar o benefício.

Concentração

Ela indica ainda que os consumidores concentrem o acúmulo de todos os pontos em um único programa. "Assim fica mais fácil o controle e também se leva menos tempo para alcançar a quantidade de pontos necessários para resgatar os benefícios", aponta Almeida. Outra indicação é checar com certa frequência o extrato do programa, que ajuda o consumidor a saber se os pontos foram creditados ou descontados corretamente. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.