NO ESTADO

Condomínio de energia solar operará neste ano

O empreendimento será instalado em Limoeiro do Norte e terá potência total instalada de 1 megawatt (MW)

00:00 · 08.04.2015
Image-0-Artigo-1829990-1
O governador Camilo Santana esteve presente na solenidade de assinatura do primeiro contrato de locação, realizada ontem ( FOTO: NATINHO RODRIGUES )

Previsto para começar a ser construído em julho e entrar em funcionamento já no mês de dezembro deste ano, o primeiro condomínio de energia solar do Brasil para aluguel de plantas de geração distribuída será instalado no município de Limoeiro do Norte, no interior do Ceará. Em sua primeira fase, o mega empreendimento terá 3.420 placas fotovoltaicas, com potência total instalada de 1 megawatt (MW), capacidade suficiente para abastecer 900 residências. Para isso, serão investidos R$ 7 milhões.

Os recursos serão integralmente aportados pela Prátil, empresa da companhia multinacional Enel, que é controladora da Companhia Energética do Ceará (Coelce). Além dos custos de instalação, a Prátil também irá arcar com a operação e manutenção do empreendimento.

A rede de farmácias Pague Menos assinou ontem, em solenidade no Grand Marquise Hotel, na Beira-Mar, o contrato para a locação integral dos três hectares da primeira fase do condomínio solar. No documento, foi formalizada a geração de 1.750 megawatts/hora (MWh) por ano durante 15 anos, que irão atender a 40 lojas da rede no Ceará.

Outros sete hectares também foram adquiridos na mesma área, pertencente à cearense Metaneide, cujo sócio majoritário é o industrial Fernando Cirino Gurgel. Na próxima etapa do empreendimento, o espaço remanescente também deverá receber instalações para a geração de energia solar. "Nós podemos chegar a 4MW instalados nessa área e ainda poderemos negociar mais hectares com o dr. Fernando", afirma o presidente da Prátil, Albino Motta.

A exemplo da Pague Menos, o representante da empresa afirma que os clientes-alvo para a locação de plantas desse tipo de energia são empresas do varejo do Ceará com várias unidades, que possuam consumo em baixa tensão. "Estão sendo negociados outros clientes, mas ainda não há nada definido. Nada impede que, ao fecharmos outro contrato, nós iniciemos logo essa outra etapa", ressalta o presidente. "Toda a área já está passando por um processo de licenciamento ambiental, então as outras etapas serão mais rápidas", acrescenta.

Economia de 8%

A Pague Menos optou por alugar os lotes de geração de energia solar com inspiração na Walgreens, maior rede de farmácias do mundo, que abastece seus estabelecimentos com o mesmo tipo de fonte de energia.

A cadeia de farmácias cearense projeta uma economia de 8% em seus gastos com energia elétrica após o parque de energia solar entrar em operação. "A despesa de energia da Pague Menos no ano passado foi de R$ 36 milhões. Está previsto para esse ano um gasto de R$ 50 milhões. Se há uma economia de 8%, isso significa R$ 4 milhões", diz o presidente da rede, Deusmar Queirós. Ele afirmou que pretende alugar outras 19 plantas do mesmo tamanho da que já foi locada, caso consiga firmar contrato com a Prátil.

ICMS é obstáculo

A alta carga tributária é um dos principais entraves para a expansão de parques de energia solar, ressalta o presidente da Prátil, Albino Mota. Nesse sentido, ele avalia que seria essencial a isenção do Imposto Sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre a circulação da rede elétrica que há no Estado.

O governador Camilo Santana, que esteve presente na solenidade de assinatura do primeiro contrato de locação do condomínio solar, realizada ontem, ouviu a sugestão do presidente e se comprometeu a estudar essa possibilidade. O chefe do Executivo estadual afirma que está criando, junto à Secretaria de Infraestrutura do Ceará (Seinfra), um segmento específico para estimular a energia e a mineração no Ceará. "Nós queremos criar uma política que possa estimular e criar incentivos para que empresas não só produtoras mas geradoras possam se instalar aqui e nós possamos criar a cultura do uso da energia solar para diversas áreas, para residência, para pequenos negócios, para irrigação", defende.

Potencial solar

O presidente da Enel Brasil, Marcelo Llévenes, afirma que a multinacional avalia que o Ceará possui uma forte vocação para a energia solar, principalmente por ter alta incidência da luz proveniente do sol. "O Estado poderia ser autossuficiente de energia elétrica com a instalação de apenas 129 km² de painéis solares", defende.

Murilo Viana
Repórter

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.