bolsa sobe 2,19%

Compra parcelada do dólar é ofertada; moeda recua

01:00 · 28.08.2018
Image-0-Artigo-2445580-1
Com o dólar turismo acima dos R$ 4,40 nas casas de câmbio, compra no cartão de crédito é opção. Alguns estabelecimentos permitem parcelar

São Paulo. Após fechar a última sexta-feira (24) na maior alta mensal em quase dois anos, o dólar começou a semana em baixa ante o real, caindo 0,53%, para R$ 4,082. O dia teve oscilações, com a moeda chegando a R$ 4,051 na mínima e a R$ 4,118 na máxima. Na última semana, o dólar acumulou alta de 4,8%, maior ganho para o período desde novembro de 2016.

Uma bateria de pesquisas eleitorais aumentou o temor entre investidores de que Geraldo Alckmin (PSDB), candidato preferido pelo mercado, não chegue ao segundo turno.

Lá fora, o dólar perdeu força para 24 das 31 principais divisas globais, após os Estados Unidos e o México concordaram em reformular o Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte, na sigla em inglês), num sinal de alívio em tensões protecionistas por parte dos EUA. O Ibovespa, índice que reúne as ações mais negociadas no Brasil, subiu 2,19%, para 77.929 pontos. O Dow Jones ganhou 1,01%.

Venda

Com a escalada do dólar, casas de câmbio, onde a moeda já é vendida acima de R$ 4,40, encontraram espaço para divulgar seu novo serviço: elas hoje aceitam cartão de crédito como forma de pagamento para a compra de dólar em espécie ou em cartão pré-pago.

A facilidade, liberada pelo Banco Central no último mês de março já está disponível nas principais redes e, além do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), é cobrada uma tarifa extra para as compras com cartão, que vai de 2% a 3,5%, dependendo da negociação da empresa com a bandeira. Nos estabelecimentos da Capital, entretanto, a modalidade ainda não se popularizou. A Sadoc Câmbio e Turismo já chegou a oferecer a venda no cartão de crédito, mas parou em fevereiro deste ano. Em outras três casas de câmbio contatadas pela reportagem, esse tipo de venda ainda não é praticada e não há previsão.

Em algumas casas pelo País, como a Europa Câmbio, é possível até parcelar a compra do dólar. Nesse caso, o juro é progressivo, conforme o número de vezes em que a compra é dividida - parte dos 3,5% na compra em uma única vez para 6,5% na compra em seis parcelas, o máximo possível. Uma das vantagens apregoadas pelas casas de câmbio é que, ao realizar a compra no cartão de crédito, o consumidor consegue "travar" o valor do dólar e pagar pelo preço da moeda na hora da compra.

Especialistas, no entanto, pedem atenção para a nova comodidade. Segundo economistas, profissionais da área de câmbio e planejadores financeiros, os juros podem transformar a operação em um peso ainda maior para o bolso do consumidor.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.