NO PRIMEIRO SEMESTRE

Comércio exterior salta mais de 50% em 5 municípios do CE

Icapuí, Crato, Caucaia, Quixeré e Aquiraz ampliaram o volume de produtos enviados para outros países em 2018

Em Icapuí, onde as exportações saltaram 417,3% de janeiro a junho deste ano, destaque para crustáceos e peixes congelados e também para frutas frescas ( FOTO: ALEX COSTA )
01:00 · 28.08.2018

Cinco municípios do Ceará despontaram no comércio exterior do Estado, registrando, de janeiro a junho deste ano, os maiores crescimentos nas vendas de produtos de origem cearense para outros países. Juntos, eles exportaram mais de US$ 86,9 milhões. Entre os destaques, está Icapuí, a 200 km de Fortaleza. No primeiro semestre deste ano, o valor exportado saltou de US$ 5,617 milhões, de janeiro a junho de 2017, para US$ 29,063 milhões, um crescimento de 417,3%, apontam dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic).

Melões, melancias e papaias (mamões) frescos, crustáceos e peixes congelados estão no topo do ranking de produtos mais enviados para fora em Icapuí. Somente as frutas garantiram uma movimentação de US$ 26,333 milhões. Em seguida, vêm os crustáceos (US$ 1,660 milhão) e os peixes congelados (US$ 926,2 mil).

Grandes empresas

De acordo com Cadu Villaça, diretor técnico do Coletivo Nacional da Pesca e Aquicultura (Conepe), entidade que congrega o Sindicato das Indústrias de Frio e Pesca do Ceará (Sindfrio), a justificativa para o salto das exportações de pescados em Icapuí se deve à presença de grandes empresas na região. Como a Icapel, que é uma empresa especializada na extração de lagosta em larga escala.

Outro motivo que impulsionou os resultados foi uma ação do Governo do Estado, que obriga, desde o ano passado, que as empresas instaladas em território cearense exportem produtos produzidos pelos portos locais.

"Foi uma ação muito positiva do governo em inibir o transporte para exportação por outro estado, retirando facilitações de empresas de fora virem comprar aqui e exportar pelo estado de origem. O que fez com que eles (empresários) estejam exportando por suas filiais".

Ainda conforme Villaça, os crustáceos e peixes têm como mercado preponderante os Estados Unidos. "Mas também vende algo para a Ásia, também via Porto do Pecém".

Interior e RMF

Tendo o mel como o produto mais demandado pelo mercado estrangeiro, fazendo girar cerca de US$ 1,435 milhão, Crato, no Interior do Estado, foi o segundo município cearense a apresentar a maior variação de exportação (181,8%) no primeiro semestre desse ano ante 2017. Calçados e partes de calçados também se destacaram na pauta, com mais de US$ 132 mil exportados.

Depois de Icapuí e Crato, foram os municípios de Caucaia, Quixeré e Aquiraz aqueles a registrarem os maiores avanços na exportação neste ano, com variações de 96,0%, 65,7% e 50,5%, respectivamente.

Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), cujo valor exportado passou de US$ 16,439 milhões para US$ 32,224 milhões, de 2017 para 2018, conquistou lugar de destaque com a exportação de partes de máquinas (US$ 22,555 milhões) e também de pedras de cantaria ou de construção (US$ 7,045 milhões).

Castanhas

Em quinto lugar, vem o município de Aquiraz, cujas exportações avançaram 50,5% na comparação entre o primeiro semestre de 2018 e de 2017, quando os valores movimentados foram de US$ 15,408 milhões para US$ 23,185 milhões.

O grande "carro-chefe", dentre os produtos enviados por Aquiraz para o exterior, são as castanhas. De janeiro a junho deste ano, foram exportados US$ 19,546 milhões do produto, enquanto em igual período de 2017, o valor foi de US$ 12,540 milhões. Assim, houve um incremento de 55,9%.

Frutas e outras partes comestíveis de planta, junto a sucos e extratos vegetais, foram responsáveis por girar cerca de US$ 2,4 milhões no período.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.