COLUNA

Stand: custo de construir no Ceará sobe 2,63% em sete meses

01:00 · 09.08.2018

O custo de construir no Ceará, medido pelo Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, subiu 2,63% nos primeiros sete meses deste ano. Em julho, ante junho, a elevação foi de 0,32% , abaixo da média nacional de 0,52%. Entretanto, nos últimos 12 meses a variação acumulada é de 6,65% no Estado, enquanto em âmbito nacional registrou 4,01%. O custo médio do metro quadrado ficou em R$ 1.019,59 em julho. No País, o indicador de inflação na construção civil registrou uma variação de 0,52% em julho, ficando 0,06 ponto percentual abaixo da taxa do mês anterior (0,58%). O acumulado no ano se situa em 2,65%. O custo nacional da construção por metro quadrado, que em junho estava em R$ 1.089,46, passou para R$ 1.095,09 em julho, sendo R$ 563,69 relativos aos materiais e R$ 531,40 à mão de obra. Considerando a influencia dos materiais de construção no índice nacional, essa parcela apresentou a maior variação do ano, 0,88%, resultado acima do índice observado em junho (0,56%) e em julho de 2017 (0,28%). Já o valor da mão de obra teve alta de 0,13%, queda tanto em relação ao mês anterior (0,61%). Os acumulados no ano ficaram em 2,79% (materiais) e 1,86% (mão de obra). Considerando os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.079,35 (Norte); R$ 1.019,82 (Nordeste); R$ 1.145,63 (Sudeste); R$ 1.137,63 (Sul) e R$ 1.100,46 (Centro-Oeste).

Image-0-Artigo-2437306-1

Paleta colorida no granito As pedras são cada vez mais destaques na decoração de interiores. Rochas tratadas com cores naturais se ajustam a ambientes diferentes adaptando-se às necessidades do consumidor para as mais diversas áreas. O Grupo Guidoni investe em intensas tonalidades para diferentes projetos. Embora as pedras monocromáticas, com poucas interferências estéticas sejam um clássico na decoração, as rochas hipercoloridas, com desenhos naturais, que se assemelham a pinceladas artísticas, têm sido a preferência de arquitetos.

Sem casa própria

Estudo da MindMiners - startup brasileira especializada em pesquisa digitais -, mostra que comprar um imóvel é prioridade número um de 52% dos brasileiros que ainda não têm casa própria. Para 28% das pessoas, essa aquisição aparece como a segunda prioridade, inclusive na frente de estudar, comprar um carro e viajar. A constatação é que 80% dos brasileiros que vivem com os pais ou de aluguel têm intenção de comprar um imóvel.

Na aquisição

Compradores de imóveis devem adiantar documentos para facilitar processo e atender com agilidade à burocracia. Isso facilita no sentido de que a venda não demore a ser concluída. "Para cada tipo de transação há documentos específicos necessários", alerta o gerente geral de compra e venda da Apsa, Gustavo Araújo. Ele lembra que se o comprador for casado o volume de documentos é ainda maior.

Em construção

A indústria de materiais de construção mantém ritmo de retomada do crescimento no ano à despeito do cenário adverso. No mês de julho, o número revisado do índice de junho e a alta de 3,7% no faturamento em julho, ante igual mês do ano anterior são resultados aferidos que reforçam a tendência rumo à recuperação do setor no ano. O emprego na indústria do setor ainda segue em baixa.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.