Coluna

Mercado: Para não virar mico

valerya

Mercado

VALERYA ABREU • marketing@diariodonordeste.com.br

01:00 · 08.01.2018

Com a popularização da internet, pessoas e consumidores passam cada vez mais tempo online e nas redes sociais. Nesse contexto, muitas empresas já divulgam conteúdos e interagem com seu público pelas redes, buscando ter mais visibilidade. No entanto, algumas empresas acabam tendo um resultado inverso do esperado, e ficando mal faladas na internet. Para não ficar mal visto na rede, cuidados simples e básicos são importantes para que as marcas não se tornem odiadas nas redes sociais. Mais de 2,46 bilhões usam as redes sociais no mundo todo, por isso, é preciso ter cuidado redobrado com tudo que é compartilhado e em como é compartilhado. Todo cuidado é pouco na hora de publicar.

On

Renda revertida

A consultora organizacional e palestrante Kelly Malheiros realiza próximo dia 24, no CDL, a palestra "A princesa, o macaco e o Einstein", que tem foco no neuromarketing como ferramenta de transformação dos resultados das empresas.

Toda renda será revertida para os projetos sociais da fundação do rim.

Off

Arranhou

Marca cearense Coco Bambu passa por uma fase delicada com a decisão judicial que deu ganho de causa para o restaurante Camarões, do Rio Grande do Norte. Acusada de copiar cardápio e a própria marca, a rede cearense terá que enfrentar a situação e "desarranhar" sua imagem.

Feira

Há mais de cinco anos o espaço internacional Nações & Artes, criado pelo empresário Juliano Michei, percorre o Brasil mixando arte, cultura e decoração de variados países. Para dar peso e maior visibilidade à Feira, foi contratada a estrela global Regina Duarte. A campanha publicitária da marca começará a ser veiculada ainda em janeiro.

Prêmio

Mais um prêmio conquistado pela agência cearense de design e branding, em dezembro último. Trata-se do Prémios Lusófonos da Criatividade, na categoria design de embalagens, pelos trabalhos para os clientes Atelier 1913 e Madi Alimentos. Esse é o único prêmio mundialmente dedicado a premiar mercado publicitário de países de língua portuguesa oficial.

"Enquanto você sonha, você está fazendo um rascunho do seu futuro".

Charles Chaplin
Ator, escritor e roteirista britânico

79%

Dos consumidores preferem comprar produtos de uma empresa que opera com propósitos sociais, segundo a publicação inglesa The Economist, que trabalhou em um estudo que gerou insights de identificação de mercado (os dados ainda serão publicados pelo Econimist Insghts Team).

300

Estudo global da Deloitte prevê que mais de 300 milhões de smartphones - ou o equivalente a mais de 20% de todas as unidades vendidas mundialmente ao longo de 2017 - terão a capacidade de empreender o chamado "learning machine", ou o chamado aprendizado de máquina, que são dispositivos que aprendem.

Fim de ano costuma motivar de forma especial as marcas a apresentarem seu lado emotivo, em campanhas e mensagens que enchem os olhos e o coração. O Itaú Unibanco por exemplo, fez exatamente isso com o filme "Eu Sou o Futuro", narrado pela atriz Fernanda Montenegro e que faz parte da trilogia de peças de fim de ano do banco, lançada em 2015. Inspirado na relação da humanidade com o futuro, o filme debate os impactos que as ações das pessoas no tempo presente podem influenciar no futuro de cada um. Temas como amor, medo, incerteza, verdade, felicidade, paz, diferenças e esperança dão o tom reflexivo da conversa com o público. Acertou bem no core.

Image-0-Artigo-2346046-1

marketing@diariodonordeste.com.br

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.