Coluna

Egídio Serpa: Ceará e sua nova geração

egidio-serpa

Egídio Serpa

egidio@diariodonordeste.com.br

01:00 · 24.05.2018 / atualizado às 01:21
Uma nova geração de executivos, formada no exterior, está - em alta velocidade - elevando o padrão de qualidade da gestão das empresas privadas no Ceará. Essa geração - com doutores e mestres em administração, finanças, tecnologia e até marketing - é a responsável pelo salto de organizações empresariais hoje top de linha aqui e além daqui. No serviço público estadual observa-se, igualmente, a presença de executivos de vanguarda no Governo, fazendo a diferença entre o arcaico e o moderno. Na área privada da indústria e da agropecuária produz-se mais com menos porque já se usa a melhor tecnologia e a melhor gestão. Ricardo Cavalcante, diretor da Fiec, diz: “Graças à sua nova e brilhante geração de empresários e executivos, o Ceará garante o futuro”.

Ferrovia

Que importância tem o transporte ferroviário de carga para o Nordeste? Hoje às 9 horas a resposta será dada no IFCE do Pecém, pelo diretor da Transnordestina Logística, Marcelo Barreto Marques, cuja palestra será promovida pela AECIPP.

Jaguaribe

Liderado pela Companhia de Cimento Apodi, o Comitê de Sustentabilidade do Vale do Jaguaribe - integrado pela UFC, IFCE, Fiec e Nutec e por órgãos públicos e privados da região - promoverá neste semestre curso de Operador de Processos Industriais.

Mecesa

Sem medo de qualquer concorrência, a Metalgráfica Cearense S/A (Mecesa) segue fabricando a tampinha das garrafas de cerveja da Cia. de Cerveja Paraense (Cerpa). Inclusive a da Finest Premium Beer Cerpa Export, seu mais badalado produto.

Dividendos

Bruno Cals, CFO do Grupo Hapvida, que há um mês abriu seu capital, revela que 25% do lucro da empresa cearense - do setor de plano de saúde - serão distribuídos como dividendos aos seus acionistas. O Grupo M. Dias Branco distribui 40%.

Abrir o capital: obrigações

Três grandes empresas cearense caminham na direção de abrir o capital - informa Geraldo Luciano Matos Jr, vice-presidente de Investimentos do Grupo M. Dias Branco, que há 12 anos tem ações na Bolsa de Valores. Ele evita nomear o trio, mas uma dele é a Três Corações, líder nacional do café torrado e moído. Abrir o capital - diz Luciano - “é abrir-se para o mercado, a que tem de prestar contas de 3 em 3 meses; é ter uma governança eficiente; é ter transparente comunicação com o mercado”, entre outras obrigações. E dar participação no resultado ao quadro de funcionários. A empresa fica madura e pode assim perpetuar-se.

Cantando

Foto
Viaja hoje para New York o cantor cearense Paulo José Benevides (foto com sua mulher Camila), que, no dia 28, cantará 11 músicas em hebraico na maior sinagoga da cidade em grande festa da comunidade judaica. De 6ª a domingo, ele ensaiará com a Terra Symphony Orchestra de lá, que o acompanhará.

Bom

Prestígio

Manoel Linhares, presidente nacional da ABIH, celebra o êxito do recente Congresso Nacional de Hoteis. Toda a grande mídia nacional deu ampla divulgação ao evento. Prova de prestígio.

Ruim

Viaduto

Alô, PMF, alô, Dnit! Está na hora de ou consertar o asfalto do viaduto sobre a BR-116, à altura do Macro, ou duplica-lo com urgência, sem esquecer de consertar claro erro de projeto.

Livre Mercado

Há uma novidade no movimento de protesto dos caminhoneiros, que, erguendo-se contra o aumento dos preços dos combustíveis, fecharam as estradas com seus veículos. Ele não é liderado pela CUT ou por outra central sindical. Um movimento assim derruba governos - vide o que aconteceu com o do ditador Pinochet, no Chile. Com o óleo diesel nas alturas, a saída é subir o frete rodoviário, com o que não concorda a clientela dos caminhoneiros. É resultado do recente uso político da Petrobras.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.